sábado, 31 de março de 2012

Bacalhau á chefe

Agora cá em casa passei a fazer mais este tipo de pratos de bacalhau, porque apesar de gostarmos bastante era uma coisa que me chateava fazer pela quantidade de louça que se suja, umas para refogados, outras para ralar, outras para cozer e outras para molhos era uma seca no fim ter a louça toda em cima da banca, agora com a minha ajudante a coisa fica muito mais fácil, só o copinho e pouco mais.

Esta semana comprei uma revista que tinha outra de oferta e como gostei da capa das duas e o chefe é de confiança comprei, na ideia que seria mais uma para a prateleira, mas logo que cheguei a casa fiquei com outra ideia, tem um monte de petiscos que vão sair cá em casa em breve.

400gr de bacalhau demolhado
2 cenouras grandes
2 cebolas 
3 dentes de alho picados
50 ml de azeite
200gr de ervilhas
500gr de batata palha (eu meti só 250gr e chega, para que fique a saber a bacalhau e não só a batata)

Para o molho bechamel
500 ml de leite + 3dl
60g de margarina
60g de farinha


Sal q.b.
Pimenta q.b.
Noz-moscada q.b.
Queijo ralado q.b.

Esta receita retirei de uma revista da Teleculinária do chefe Silva, mas no fundo fui só retirar as quantidades porque eu fiz tudo á minha maneira na mycook, muito mais rápido, fácil e eficiente, porque para um prato com tantos passos só sujei o copo.



  •  Meti no copo as cebolas, alho e azeite - 5 min 110º e vel.1
  • Juntei no copo as cenouras partidas de modo grosseiro e - 5 min 110º vel 1 mais 2 segundos de turbo para triturar a cebola de modo mais fino.
  • Juntei o bacalhau desfiado - 5 min 110º vel.1

Num tabuleiro de ir ao forno meti a batata palha bem lavada em água (para retirar gordura e sal) juntei a mistura do bacalhau e as ervilhas previamente cozidas.
Envolvi tudo e juntei o molho bechamel mais os 300ml de leite e envolvi muito bem.
Por cima polvilhei com queijo ralado, não foi mozzarela como pedia a receita, porque não tinha e ralei na Mycook um que tinha em casa.
O molho bechamel fiz na maquina pela receita que vem no livro.
Meter todos os ingredientes no copo e ligar - 4 min. 90º vel.4
Depois de ir ao forno e com a capa ligeiramente tostada fica delicioso, um bacalhau já repetido várias vezes, por ter agradado a todos e pela simplicidade de fazer assim na minha Mycook.

sábado, 24 de março de 2012

Almôndegas em molho de tomate com puré

Carne picada, almôndegas e afins é uma das comidinhas favoritas do meu menino e eu sempre que posso faço, porque nós também gostamos.
assim peço normalmente no talho para me picarem metade de carne de vaca e metade de carne de porco, já uma vez pedi para me substituírem a de porco por frango ou peru, mas não é permitido e com uma grande excepção e picando primeiro a de aves eles lá me fizeram a vontade.

Cá em casa eu tempero a gosto.

250gr de carne de vitela
250gr de carne de porco
1 ovo
6 ou 7 alhos
1 cebola grande
1 copo de polpa de tomate
1 copo de vinho branco
1 ou duas folha de louro
1 raminho de salsa
Oregãos.
Colorau, sal e azeite q.b.
pão ralado q.b.

Tempero a carne picada com 2 ou 3 dentes de alho picado, sal, colorau a gosto, junto um ovo e pão ralado q.b. e faço as bolinhas.

Normalmente costumava fritar primeiro as almôndegas em azeite e alhos esmagados inteiros, desta vez aproveitei para fazer o refogado na Mycook, onde poupei uma tarefa que detesto, picar cebola e alho, assim foi só meter tudo no jarro, programar 5min. a 120º e velocidade 1 (S) e já está.
Transferi o refogado para um tacho e juntei aqui as almôndegas, o vinho, a polpa de tomate, o louro e deixei cozinhar até a carne estar tenrinha. A meio do tempo juntei o raminho da salsa e umas pitadas de oregãos.

Para acompanhar um puré que o menino adora e uns grelos de nabo cozidos a vapor tudo na Mycook.

Para o puré fiz a receita do livro da máquina
900gr de batata
750gr de água
100gr de leite
50gr de azeite
Noz moscada e sal a gosto.

Colocar a água no jarro e as batatas cortadas aos cubinhos no tabuleiro para vapor, eu meti ainda o cesto em cima e aí grelos de nabo para acompanhar. Programar30 min a 120º velocidade 3, findo este tempo que eu interrompi antes uns 5 minutos, deitar a água fora e colocar as batatas, o leite que eu dobrei, porque me pareceu muito pouco e os temperos e programar 2 min a 90º velocidade 5, no fim adicione o azeite pelo buraco da tampa e marque mais 1min velocidade 5 para emulsionar.

terça-feira, 20 de março de 2012

Bolo para o pai


Mais um bolo a sair deslocado no tempo, mas foi feito no tempo exacto, para levar para a festa de homenagem aos pais do colégio do pequeno, ainda que a ocasião não exigisse um bolo tão elaborado, eu tinha que testar a pasta de leite em pó, para ter a certeza que iria conseguir fazer a coisa sem dificuldades e sem me chatear, para uma ocasião especial e que requer calma e tranquilidade.

A receita fui busca-la ao blog da Lina  para testar a farinha de alfarroba que tinha comprado há já algum tempo e como ela tem lá várias, fui lá e o escolhido foi este, um pouco ao acaso e também porque o efeito zebra tem uma ar divertido para crianças.

250 g de cenouras (2 médias)
1 chavena de chá de açúcar
1 chavena e 1/2 de chá de farinha
2 Gemas
2 Claras em castelo
40gr de manteiga sem sal derretida
1 Colh. de sobremesa de fermento em pó
1 Colh. de sopa bem cheia de farinha de alfarroba
Meia chávena de leite (de minha autoria)

Tal como a Lina eu ralei a cenoura, só não a passei com a varinha mágica, como ela sugere, porque a minha receita de bolo de cenoura também leva cenoura ralada assim e fica bom.

Primeiro bater as claras em castelo e reservar.
Em seguida bater as gemas com o açúcar e a manteiga derretida, e juntar a cenoura, batendo até a mistura ficar bem homogénea, acrescentar a farinha envolvida com o fermento aos poucos, com a batedeira em velocidade mais lenta, eu aqui juntei meia chávena de leite, porque a massa ficou muito dura e não me pareceu que conseguisse envolver bem as claras em castelo. Juntei então as claras em castelo e envolvi com cuidado.
Dividir a massa em duas partes, uma ligeiramente maior que a outra, na parte menor juntar a farinha de alfarroba.

Depois deitei uma colherada de massa clara no centro da forma, por cima uma colherada de massa escura e assim, de forma alternada até  acabar a massa como fiz para o bolo zebra que já tenho por aqui no blog.

Levar ao forno em forma untada com manteiga e polvilhada com farinha, pelas indicações da Lina e pela quantidade de massa que resultou vi que teria um bolo pequeno e por isso cozi numa forma de suflé com mais ou menos 18cm de  diâmetro, em forno a 200º por mais ou menos 30 minutos (verificar a cozedura com o teste do palito).

Por baixo da cobertura usei um creme imitação de outro que já costumo fazer, só para a pasta de leite aderir melhor, misturei 1 colher de sobremesa de farinha maisena com meio copo de leite e 1 colher de sopa de farinha de alfarroba, que levei ao micro-ondas em potência  máxima por + ou - 30 segundos, retirei e mexi muito bem com uma colher, para dissolver grumos e cobrir o bolo ainda quente.

Por ultimo e depois de tudo bem frio cobri com a pasta de leite em pó que já expliquei aqui e que desta vez resultou muito melhor, com os ajustamentos que eu já tinha pensado.

Para colar as decorações á pasta, que no outro bolo não consegui, basta colocar uma gotinha ou uma pincelada de água e as figuras aderem muito bem, se forem assim rasas.
Depois do ataque ao chapéuzinho como disse uma coleguinha ainda consegui uma mostra do interior antes de ser todo devorado.

sábado, 17 de março de 2012

Corações e a minha estrelinha azul no meio

Chamar-lhe bolo do dia dos namorados passado tanto tempo até parece mal, mas as coisas cá em casa têm andado muito confusas, vários problemas ao mesmo tempo e as postagens do blog que têm saído são coisas que eu já tinha feito há algum tempo e que vou escrevendo para não me esquecer, porque as receitas ás vezes desaparecem...!!!... ou porque vieram em fotocópias, ou em papeis de rascunho ou porque as tirei da net e depois me esqueço de onde, por isso agora escrevo logo no blog e deixo em rascunho e depois é só juntar as fotos.


Este bolo foi um desses, a receita  neste caso nem é o mais importante, porque é um bolo que o marido fez tipo pão de ló que ele e o menino adoram, bateu tudo sem separar claras nem nada e ficou muito fofinho. O principal interesse era experimentar uma pasta de leite em pó para ver se resultava bem para eu me aventurar pelos bolos decorados.

O bolo é um clássico cá em casa, quase a olho e sem preceito.

6 ovos
250gr de açúcar
200gr de farinha

Bater muito bem os ovos inteiros com o açúcar até dobrar de volume e depois é só envolver a farinha.
Levar ao forno em forma untada e polvilhada com farinha a 200º durante 30 minutos.

A pasta de leite em pó vi no blog da Argas  fiquei com ela na cabeça e tinha que experimentar,  porque me pareceu saudável e fácil para começar, para além de levar leite condensado que adoro.

A receita que a argas apresenta e o modo de confeccionar foi o que eu segui, por isso eu apresento tal e qual.

300gr de açúcar em pó
200gr de leite em pó
1 lata pequena de leite condensado.

Pulverizar o açúcar na bimby ou Mycook e se o leite em pó for grosso pulverizar também um bocadinho para ficar mais fino e foi o que eu fiz.

Juntar o leite condensado e misturar alguns segundos na velocidade 4 na bimby  (5 na mycook) e tem que ser mesmo uns segundos muito pequeninos, porque senão a máquina atasca e dá erro, com a pasta colada ás helices.

Depois retirar a massa do copo e amassar com as mãos até se descolar e dar para trabalhar e foi aqui que começaram os problemas a minha massa ficou uma pasta grudenta e de jeito nenhum se descolava das mãos.

Fui ver novamente o site da argas para confirmar que tinha feito tudo bem e vi lá indicação de um outro site que tem um  video  explicativo e estive a ver para perceber melhor onde falhei, em primeiro as quantidades referidas, são ligeiramente diferentes das apresentadas e penso que essa diferença é importante.
Para além disso no video o senhor vai colocando o leite condensado aos poucos e não logo tudo de uma vez, até encontrar a consistencia desejada e isto penso que faz toda a diferença.

Para resolver o problema da minha massa grudenta eu juntei mais pelo menos meia chávena de açúcar em pó e de leite em pó eu nem sei, porque não medi, fui juntando para a massa se descolar das mãos e consegui resolver, não sei se da melhor maneira, mas consegui uma pasta moldável e que se esticou com alguma facilidade.

Como demorou tanto a resolver o problema da pasta e eu já estava á beira de um ataque de nervos, o interior do bolo ficou por isso mesmo, sem recheios nem coberturas para colar a pasta e cobri assim mesmo, colori um bocadinho de rosa e um bocadinho de azul com corantes alimentares, para fazer uns corações e uma estrelinha.

Ficou bonito por fora e simples por dentro, mas para mim a pasta tem um sabor muito forte ao leite, bom para quem gosta muito de leite, o meu menino adorou, comeu até mais bolo, só para comer a dita pasta e os corações foi ele que os comeu todos, eu nem tanto, para a próxima que tentar, talvez lhe meta um aroma de qualquer coisa, baunilha, chocolate ou outro para disfarçar um pouco o sabor do leite.
Para resolver ainda.... como colar os corações ou outras figuras á pasta que cobre o bolo, se alguém souber....

sexta-feira, 9 de março de 2012

Uma espécie de ovos em cocotte

Vi "esta" receita no blog da Luisa Alexandra e adorei a ideia, baseada na celebre receita francesa em que  recheio e os ovos são feitos em ramequins de porcelana e comido directamente daí como entrada, esta é feita em caixinhas de pão, o que lhe dá uma certa graça e faz com que possa ser servido como prato principal, já que fica mais substancial.

Eu fiquei com a ideia na cabeça e fiz, porque adoro ovos de todos os tipos e feitios, mas estrelados são a minha perdição, com a gema para molhar o pão adoro, aqui está tudo reunido em um, com a vantagem de que os ovos não são fritos, mas escalfados no forno.

Então partindo da ideia dela e com o que tinha á mão salteei uns cogumelos, com salsichas e espargos verdes de conserva, porque frescos não tinha, numa frigideira com um pouco de azeite e manteiga, temperei com um pouco de pimenta moída na hora e sal.
Meti umas fatias de pão de forma com côdea, ao contrário do que ela recomenda, mas era o que tinha, numas malgas que podem ir ao forno, aconcheguei para fazer uma tacinha e enchi até meio com os cogumelos.

Completei com os ovos, 2 em cada taça e levei ao forno, só até os ovos estarem meio cozidos, de maneira que a clara esteja cozida, mas a gema ainda esteja crua.
Retirei do forno e desenformei as tacinhas de pão e ficou delicioso como eu imaginei, ainda que os ingredientes não fossem os mais sofisticados, mas para a próxima vou programar as coisas para fazer uns ainda mais fantásticos, adorámos todos cá em casa, principalmente o pequeno que adorou as "cestinhas" uma comidinha a apelar á imaginação infantil.



domingo, 4 de março de 2012

Arroz de camarão


Esta foi a primeira experiência com arroz e com a minha Mycook, o resultado foi excelente, se fizesse ao lume de modo tradicional provavelmente teria demorado menos, mas como ainda não domino bem o aparelho foi mais demorado, para a próxima já corre melhor.

Esta receita foi feita a partir de uma de risoto e poucas foram as alterações, mas resultou muito bom, mesmo sem o arroz próprio.

1 embalagem de camarão descascado congelado 900g 
3 ou 4 pauzinhos de delicias
300 g de arroz carolino
600 g de água  
1 cebola grande
2 dentes de alho
60 g de azeite
10 g de polpa de tomate
20 g de sopa de marisco em pó
50 g de vinho branco
Coentros picados

Preparação
No jarro da máquina,  colocar a cebola em pedaços, os alhos, o azeite, o vinho e a polpa de tomate e marcar - 5 minutos - 110º - velocidade 1
Juntar o arroz - 2 minutos - 100º - velocidade 2 para fritar um pouco o arroz
Juntar 600g de água, a sopa de marisco em pó - 15 minutos - 100º - velocidade 2
Quando faltar 10 minutos para terminar o tempo misturar o miolo do camarão. 
Por ultimo envolver bem as delicias partidas aos bocadinhos.e deixar repousar 5 minutos, polvilhar com os coentros e servir de imediato.