quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Quiche de bacalhau

Esta quiche de bacalhau fiz já há algum tempo, para utilizar um bacalhau que me tinha sobrado de uma embalagem de migas, meia embalagem não dava para nada excepto mesmo uma quiche.

Fiz na Mycook, como a maioria das quiches que faço agora, sem dúvida muito mais fácil e sem sujar louça nenhuma para além do copo da máquina e para além disso tenho sempre a base á mão, não preciso de me preocupar se comprei massa folhada ou se a deixei a descongelar e ainda muito mais saudável.

300gr de farinha
130gr de manteiga
70gr de água
1 pitada de açúcar
1 pitada de sal
Para o recheio
1 cebola
1 cenoura
250 de bacalhau desfiado
4 ovos
1 pacote de natas
1 colher de sopa de farinha
100ml de leite.

Para a massa deitar no copo todos os ingredientes e programe: 20 segundos vel.6.
Retire e amasse mais um pouco á mão e estique na tarteira.

Para o recheio meter a cebola e a cenoura com o azeite na Mycook e programar 5 min 120º vel.1

Depois juntar o bacalhau e programar mais 30seg vel 1

Por ultimo e fora da máquina bater os ovos com as natas e a farinha dissolvida no leite e misturar com o resto do recheio e programar mais 1 min vel 3 só para homogeneizar.

Deitar o recheio na tarteira e polvilhar com queijo ralado e vai ao forno a cozer, no meu cozeu em 30min a 180º

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Caixinhas para presente

Já há algum tempo que não trazia aqui nada das minhas artes, porque o tempo e a vontade para essas coisas também não tem sido muito, mas de vez em quando a ocasião assim o exige.

Mais umas caixinhas que pintei para oferecer, pelo trabalho e dedicação que estas coisas exigem, só mesmo para alguém especial e foi o caso destas, uma para uma amiguinha do meu menino e a outra para uma querida apreciadora de chá.

Uma só pintada á mão, a outra pintada e com umas colagens aplicadas, no vidro superior meti uma fotografia dos amiguinhos e por dentro foi cheia, com coisas que qualquer menina gosta.

domingo, 27 de janeiro de 2013

Lombo de porco com mel e ameixas

Comprei este lombo nas promoções malucas duma grande superfície que meia volta faz umas campanhas de 75% que eu aproveito sempre que os produtos me interessam e ao contrário do que muitas pessoas dizem são promoções que valem muito a pena, não nos podemos é distrair, nos prazos para depois levantar o dinheiro que eles metem no cartão, são normalmente produtos de boas marcas e que com 75% de desconto ficam quase de borla....aproveita quem quer e pode...

Normalmente nestas campanhas eu vou e compro exclusivamente o que me interessa da promoção, nas semanas seguintes em que se deve levantar o dinheiro que carregam no cartão, eu vou e compro o que me faz mesmo falta em casa...

Trazem-nos enrolados nas promoções e prémiozinhos??!! é verdade, mas para mim quem souber gerir a coisa ganha muito dinheiro, dizer que ficamos agarrados ao mesmo hipermercado para as compras, a mim também não me faz muita diferença, porque é a loja que eu gosto mais, excepto para verduras por isso para mim não é problema.

Este lombo era grande, mas assei tudo e depois fico com carne para outras refeições, e até para fazer umas sandochas para o marido levar para o trabalho.

1 lombo de porco com 1900gr
5 ou 6 dentes de alho
Pimenta
Louro
Sal
Colorau
Vinho branco
Azeite

3 colheres de sopa de mel
1 embalagem de ameixas secas pretas

Temperar o lombo de véspera com os temperos indicados, eu esmaguei o alho numa maquineta, para fazer uma pasta e untar com ela o lombo.

Deixei a marinar de um dia para o outro no tabuleiro que iria ao forno.

Meti a cozer lentamente no forno a 230º durante meia hora, no fim virei para tostar dos dois lados, untei com mel e deixei tostar, ao fim de mais meia hora voltei outra vez e untei o outro lado com mel e juntei as batatas cortadas aos cubos e as ameixas em volta e deixei mais meia hora.

No fim convém verificar se já está cozido, o meu esteve tanto tempo, porque o lombo era muito grande.

Até as batatas ficaram com um sabor muito bom, meio adocicado pelo mel.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Sonhos de abóbora Mycook

Estes sonhos de abóbora fiz na Mycook, para o meu menino, porque não sei porquê, não é fanático de doces nem bolos á excepção de fritos, adora filhoses, sonhos e rabanadas.... vá-se lá saber porquê.

350 gr de abóbora
100 gr de açúcar
2 ovos
1 laranja
1/4 de um cubo de fermento de padeiro
500 gr de farinha

Triturar a casca da laranja com o açúcar no copo bem seco 15 seg. vel 10

Juntar a abóbora e os restantes ingredientes e programar 2 min. vel amassar

Transferir para uma tigela e deixar repousar um bocadinho.

Depois é só fritar bolinhas de massa em bastante óleo.

Transferir para uma taça e polvilhar com açúcar e canela.


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Broinhas de abóbora

No ano passado deram-me uma abóbora gigantesca, mas como estava para mudar de casa, não a parti e deixei na garagem até estar na casa nova.

Quando a parti, como já referi, ela era mesmo gigantesca e depois de congelar o máximo que conseguia armazenar, procurei receitas para a utilizar.

Pensei fazer broinhas de abóbora, mas a maior parte das receitas dizia para cozer e deixar a escorrer de um dia para o outro, mas a minha paciência e organização não me permite começar coisas num dia e acabar só no outro, por isso encontrei esta receita no blog da Moira e achei boa ideia.

Teve uns percalços no amassar e no tender, mas no fim até resultou mais ou menos.

650 gr de abóbora cozida
750 gr de farinha de trigo
250 gr de farinha de milho branca
25 gr de fermento de padeiro
250 gr de açúcar
1 colher de café de canela
1 colher de café de erva doce
150 gr de passas
75 gr de pinhões
125 gr de nozes
Eu não tinha pinhões, por isso usei mais nozes e juntei alguns figos e alperces secos picados.

Misturar numa taça as duas farinhas e escaldar com a abóbora cozida e mexe-se com uma colher de pau.

Dissolver o fermento de padeiro num pouco da água de cozer a abóbora que deve ainda estar morna e mistura-se com a massa e amassa-se bem. Esta parte eu não consegui fazer sem lhe adicionar mais um pouco de água de cozer.

Juntar o açúcar e as especiarias e trabalhar até fazer bolhas, deixar na taça coberto com um pano num local morno sem correntes de ar para levedar.

Quando tiver dobrado de volume juntar os frutos, misturar com as mãos e com elas enfarinhadas tender as broinhas, coisa que eu não consegui fazer, porque a massa estava demasiado mole, não sei se por ter deitado água demais no amassar...

Juntei mais farinha até conseguir tender as broinhas.

Levei ao forno a cozer em cima de uma placa de silicone e papel vegetal.

No fim o resultado foi mais ou menos, ficaram boas de sabor, mas um nadinha duras.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Quiche de Salmão fumado e camarão com alho Francês

Cá em casa gostamos muito de salmão fumado e compro de vez em quando, mais para fazer entradas.

Desta vez como comprei uma embalagem enorme que estava em promoção, deu para as entradas e ainda sobrou para incrementar esta tarte de camarão que também costumo fazer.

Ficou muito bom e teve recomendações de anotar a receita ( como se eu já não fizesse isso há anos :-)

1 base de massa folhada ou outra feita em casa
1 alho francês grande
1 embalagem de camarão descascado grande
1 chávena de mexilhões e berbigões ou ameijoa
4 ovos
1 pacote de natas
1 colher de sopa mal cheia de farinha

Cortar o alho francês em rodelas fininhas e levar a refogar com um pouco de azeite, quando estiver já molinho, juntar os mariscos.

Á parte bater os ovos com as natas e a colher de farinha.

Meter a base de massa na forma de tarte e por cima dispor o preparado dos mariscos, juntar algum salmão fumado partido aos pedacinhos e por cima deitar o preparado dos ovos.

Decorar com tiras de salmão fumado e por cima polvilhar com queijo ralado, eu usei metade mozzarela e metade emental.

Foi ao forno a 180º durante mais ou menos 30min.

Fica uma quiche muito saborosa, o salmão fumado dá-lhe um toque muito original.


sábado, 19 de janeiro de 2013

Entradinhas e petiscos

Cá em casa gostamos muito de petiscos, eu costumo dizer que numa festa em que haja este tipo de entradinhas e petiscos, eu já nem preciso do prato principal, gosto mais das entradas do que mesmo das sobremesas, sou mais de salgados do que de doces, ainda que goste de doces também, mas em caso de haver os dois prefiro salgados.


Salmão fumado em tostas com requeijão, Alheira grelhada, ovinhos de codorniz, tâmaras recheadas com requeijão, ou mesmo tostas com um vulgar patê, caseiro ou não. 



Salmão fumado em tostas, simples, com limão ou com maionese.


Figos com queijo, um queijo forte tipo serra ou gouda ou outro de sabor forte.


E estas são umas pequenas mostras do que costumo fazer cá em casa, para a próxima trago mais, porque ainda não está cá a minha preferida.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Papas de abobora

Abri uma abóbora cá em casa gigantesca, depois de dar uns sacos a amigas e vizinhas, depois de fazer sopa, sonhos e broinhas e de congelar ainda tinha abóbora para dar e vender, vai daí numa conversa com uma amiga falou-me numas papas que a sua mãe faz e de que gostam muito.

Sem receita e á moda das mães, meti-me a fazer as ditas papas e não é que ficaram muito boas, até o pequeno comeu bem, na ilusão de que era leite creme de abóbora :-)

Com mais ou menos
1 kg de abóbora
2 colheres de sopa de farinha maisena
Leite q.b.
Açúcar q.b.
Canela

Fiz umas papas deliciosas.

Cozi a abóbora e escorri e triturei com a varinha mágica.
Levei novamente ao lume com a farinha dissolvida num copo de leite e deixei ferver até engrossar e cozer a farinha, se necessário juntar mais um pouco de farinha e leite, tendo em conta que as papas engrossam mais depois de frias.

No fim de cozida a farinha juntei umas colheres de sopa de açúcar, diz a minha amiga que a abóbora é doce e nem precisa, mas esta abóbora não devia ser muito doce porque eu achei que precisava.

Meter em tacinhas ou em travessa e polvilhar a gosto com canela.
Depois de falar com as colegas lá no serviço sobre estas papas, já me falaram que também se podem comer com doces de fruta em cima em vez da canela e talvez em vez de levar o açúcar.

Cá em casa aprovou e farei mais vezes, sempre que partir uma nova abóbora.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Magret de pato com cerveja, mel e laranja

Comprei estes peitos de pato sem saber muito bem o que fazer com eles, sei que o maior uso que se lhes dá é grelhado e já comi assim em França e gostei muito, mas como eu não tenho um grelhador de carvão, no eléctrico tive medo que não ficasse bom.

Resolvi assá-lo no forno e por isso temperá-lo com cerveja que é como a minha mãe costuma fazer o pato assado no forno, para além dos outros temperos da praxe.

No próprio dia é que me lembrei que o podia fazer com laranja ou com mel.

Pois foi isso mesmo que fiz tudo em um.

4 lombos de pato
4 dentes de alho
2 folhas de louro
1 cerveja
sal e colorau q.b.
1 colher de sopa de mel
1 laranja, sumo e casca

De véspera temperei o pato com os primeiros ingredientes, dei uns golpes em losango na pele e deixei de molho.

Meti no forno a assar lentamente com a pele para baixo e a meio da cozedura virei a pele para cima e untei com uma boa dose de mel, logo que o mel derreteu e foi absorvido, comecei a regar com o sumo da laranja. 

Ficou um sabor meio exótico,  se não tivesse sido eu a fazer até diria que levou gengibre, mas não, foi a mistura da cerveja com o sabor forte do mel caseiro que tenho, que lhe conferiram um sabor diferente, entre o doce e agre. Gostamos muito (os adultos) o pequeno comeu, mas disse que parecia que lhe sabia a fruta... e não se enganou de todo, muito perspicaz este meu menino.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Tarte de Requeijão

Esta tarte fiz para gastar um requeijão que me sobrou de uns que comprei para fazer entradas, fica muito pequenina, porque leva só um requeijão, mas é nas coisas pequenas que ás vezes está a virtude, nem tudo que é grande e vistoso por vezes é o melhor...

1 requeijão 250gr
2 ovos
100gr de açúcar
40gr de farinha
3dl de leite

É facílima de fazer, porque basta meter tudo num liquidificador ou na Mycook ou Bimbys e companhia e neste caso bastam 10 seg. vel.5 e já está.

Levar a cozer no forno em forma de tarte de fundo fixo, untada com manteiga, durante mais ou menos 20min a 180º.
Fica pequenina mas muito boa, como é pouco batida no fim de cozida notam-se uns grumos de requeijão que lhe conferem uma textura e sabor delicioso, rápida e eficiente é o que se quer em determinadas alturas.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Quiche de legumes Mycook

Mais uma quiche totalmente feita na Mycook e como de costume para aproveitamentos.
Esta foi mesmo para aproveitar uns vegetais que andavam por aí no frigorífico sem destino.

Os fiambres foi só para não ser totalmente vegetariana, nada contra o vegetarianismo, mas cá em casa sentimos falta da componente proteínas.

Para a massa:
300gr de farinha
130gr de manteiga
70gr de água
1 pitada de açúcar
1 pitada de sal
Para o recheio:
Uma mão cheia de brocolos
Uma mão cheia de grelos
Talos de couve
1 cenoura
1/2 cebola
1 chávena de fiambres, chourição e mortadelas fatiados
Azeite q.b.
4 ovos
1 pacote de natas
Queijo ralado q.b.


Para a massa deitar no copo todos os ingredientes e programe: 20 segundos vel.6.
Retire e amasse mais um pouco á mão.

Em seguida meter no copo a cebola com o azeite e programar 5 minutos 120º vel.1 antes de terminar o tempo ir metendo pelo buraco da tampa os vegetais.

Quando terminar o tempo programar mais alguns 5 min. vel 1 sem temperatura. No fim se necessário triturar mais um pouco com uns toques de turbo, se os vegetais não ficarem bem triturados e acrescentar os fiambres, os ovos batidos com as natas e misturar só mais um pouco vel 3.

Forra uma tarteira com a massa e deitar o recheio em cima, aconchegar e polvilhar com queijo ralado e pão ralado a gosto.

sábado, 5 de janeiro de 2013

Bolo de Xi

Neste natal entre as prendas que recebi, tive uma completamente inesperada e original, uma coisa que até já tinha visto nos blogues, mas nunca me ocorreu vir a receber.

Para além de outros mimos que trazia o saco, Madalenas de mel e chocolates caseirinhos, tudo delicioso e que pouco durou, trazia um frasquinho muito bonito com um preparado para bolo.
Como disse a minha amiga uma prenda para me dar trabalho e como ela sabe também, um trabalho que eu gosto muito, experimentar novos bolos.

O bolo tive que esperar para regressar a casa para o preparar e provar.

A receita ou instruções de preparação, passo tal e qual vinha no rótulo do frasco. 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Contém:
150 gr de açúcar amarelo
150 gr de farinha
1 colher de fermento em pó
100 gr de miolo de noz em pedaços
100 gr de figos secos em pedaços
50 gr de passas
1 colher de chá de canela em pó
1/2 colher de chá de gengibre em pó
1/2 colher de chá de cravinho em pó

Preparação:
Numa taça coloca 4 ovos e 150 gr de manteiga derretida. Mistura bem. Adiciona o conteúdo do frasco e torna a misturar muito bem.

Deita a massa numa forma rectangular (pode ser tipo bolo inglês) bem untada e polvilhada com farinha.
Levar ao forno aquecido a 180.º e deixar cozer por 40 min. ou até veres que já está cozido.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fica um bolo delicioso, um sabor exótico ás especiarias e sem ser exageradamente doce é viciante.

Gostei do pormenor das frutas cortadas de modo mais grosseiro, do que eu costumo cortar, mas que fica muito melhor, uma ideia que vou aproveitar para futuros bolos com frutas secas.

Outra ideia que me fica na cabeça é que para além de ser um presente original, podemos fazer em casa e ter pronto para aquelas situações de festa em que precisamos fazer muita coisa, podemos sempre pré-preparar alguns bolos com alguma antecedência e depois é só ultimar e cozer.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Roupa velha no forno

Para começar bem o ano e porque nos parece que vai ser um ano muito muito difícil, nada melhor do que começar por um prato de aproveitamentos, porque nada se pode desperdiçar....

Um clássico do dia de natal da casa de muitas família  não é o caso da minha família  tal como as famosas rabanadas, cá em casa roupa velha come-se durante o ano quando há sobras próprias para isso, seja de bacalhau ou outro peixe, tal como as rabanadas, na minha casa sempre se comeram quando havia sobras de pão e não costumam ir á mesa em dias de festa.

Mas como nada se pode desperdiçar e como sobra sempre muita comida nestes dias de festa, não se come no dia de natal, mas come-se noutro dia a seguir.

Este ano fiz diferente do que costumo fazer.

Fiz no forno e como as batatas eram poucas e o bacalhau e a couve muita juntei pão...

Então em cima de uma cama de fatias finas de pão de mistura de trigo e centeio meti os ingredientes já cozidos que tinham sobrado

Batatas
Bacalhau
Couves
Ovos

Em camadas, e pela ordem indicada.

Meti 4 ou 5 dentes de alho picado a ferver em azeite e reguei tudo com esta mistura.

Foi ao forno a 230º o tempo suficiente para aquecer e tostar um pouco.

O melhor deste prato foi mesmo o pão que ficou no fundo, embebeu o azeite com sabor a alho e ainda ficou meio crocante, como se estivesse frito, delicioso mesmo.