domingo, 26 de março de 2017

Waffles

Mamã podes fazer waffles?

É o acordar do meu menino todos os domingos, mamã podes fazer waffles, ou panquecas, ou crepes.... e como ao domingo é tudo mais tranquilo, não há horários a cumprir podemos fazer umas extravagancias e fazer um pequeno almoço diferente, com direito a tudo que mais gostamos, sumo natural, fruta..... e ficar ali a comer descansadamente, ao som dos desenhos animados, porque durante a semana é o básico ainda que todos sentados á mesa ao mesmo tempo...


2 ovos
1 chavena de leite
1 e 1/2 chávena de farinha
60g de de margarina
1 colher de sopa de açúcar de cana
1 colher de café de Fermento
1 pitada de Baunilha
1 Pitada de sal
1 colher de sopa de coco


Meter os sólidos todos numa taça e juntar aí os ovos batidos com o leite, bater bem com uma vara de arames e por ultimo juntar a margarina derretida e misturar bem.

Para quem não quer ter mesmo trabalho nenhum, mesmo a preguiça no seu máximo meter tudo no copo do robot e programar 1 min tem.50 vel.4 e já está :)

Preparar a máquina, untando ligeiramente com óleo as duas placas e por a aquecer.
Deitar uma concha de massa no centro da placa de baixo e fechar a tampa, carregar um pouco para a massa se espalhar e deixar depois sem pressionar um minutito e levantar para ver se está cozida e douradinha.


Retirar e comer com o recheio que mais gostar, cá em casa é com chocolate, doce de frutos vermelhos, mel e simplesmente com canela em pó.


quinta-feira, 23 de março de 2017

Bôla de chouriço e bacon

Mais uma bôla de carnes, fica sempre bem para um lanche, para levar para piquenique, ou lanches para o trabalho.

Esta receita já está por ai no blog em vários formatos, bôlinhas pequenas, em tabuleiro ás camadas, em forma de bolo e esta foi mesmo em tabuleiro, mas as carnes não foram em fatias e camadas, foi mesmo tudo partido e misturado na massa.


A receita base está testada e aprovadissima, por isso raramente faço outra.

6 Ovos
3 chávenas de farinha
1 chávena de leite
1 chávena de azeite (nunca encho bem).
2 colheres de chá de fermento
Sal (omiti, já tem muito nas carnes).
Carnes fumadas, usei Bacon e chouriço.

O modo de preparação fácil e eficiente, bater tudo sem nenhum preceito e no fim juntar as carnes partidas em pedacinhos pequenos e misturar.

Para fazer no robot de cozinha, com a borboleta no copo, introduzir os ovos e o Azeite e programar 10 min vel.3, para que fique fofinha deixar mesmo os 10min.

Retirar a borboleta e com a máquina na vel.3 ir juntando alternadamente pelo buraco a farinha misturada com o fermento, alternando com o leite. Por fim envolver as carnes á mão já fora do copo.

Colocar num tabuleiro rectangular, untado com margarina e polvilhado com farinha e vai ao forno pré aquecido a 200º durante mais ou menos 30 min. verificar antes de retirar do forno.


Assim faz lembrar o folar transmontano, com uns pedaços de carne aqui e acoli :)

segunda-feira, 20 de março de 2017

Mexido de cogumelos e farinheira

Já há algum tempo que compro sempre cogumelos frescos, deixei de comprar enlatados desde que haja uma alternativa nos frescos.
E cogumelos temos muitas alternativas bem mais saborosos e suculentos e como dizia uma amiga há uns tempos não há nada mais deprimente que cogumelos de lata :)

Esta receita de cogumelos é baseada nos famosos "Revuelto de setas" que se comem muito de entrada ou primeiro prato em Espanha.


Cogumelos variedade Marron
1 farinheira
2 ovos
1 dente de alho
Salsa a gosto

Partir os cogumelos em laminas grossas e levar a saltear numa frigideira anti aderente só com uns dentes de alho e um fio de azeite.

Juntar aí a farinheira sem pele e partida de modo grosseiro, mexer bem e deixar a farinheira soltar a gordura.

Envolver os ovos batidos e mexer muito bem até estes estarem cozidos, no fim envolver salsa picada a gosto.



sábado, 18 de março de 2017

Polpa de tomate como conservar

Quem nunca comprou um daqueles frascos grandes de polpa de tomate e acabou por deitá-lo todo para o lixo porque ganhou bolor...Já me aconteceu várias vezes, até porque quando este tipo de alimento ganha bolor no cimo, não se deve retirar o que é visível e aproveitar o restante, porque o bolor é um fungo prejudicial para a saúde e é composto por filamentos fininhos que se infiltram por todo o frasco, no topo os filamentos juntam-se em maior quantidade e formam aquela capa branca que é visível, mas os outros estão lá também....

Pois cá em casa isso não acontece e deixei de comprar dos pequenos porque fica mais caro e não compensa.

A primeira vez que abro o frasco encho logo forminhas de silicone próprias para queques e levo ao congelador, a polpa que fica agarrada ao frasco, passo por água ou vinho consoante a situação e utilizo.


Depois de congelado é só desenformar e meter em sacos próprios para congelação e está pronto a usar, tirando um ou dois cubos consoante a necessidade.


Ultimamente utilizo polpa de tomate caseira, mas faço exactamente o mesmo quando abro os frascos grandes e alguma congelo logo quando a faço.
Congelo em doses que sei serem o ideal para mim e vou retirando do congelador na hora.


  • Já tenho por aqui e aqui e ainda aqui algumas sugestões de polpa caseira. 

Para congelar utilizo muitas vezes caixas de manteiga recicladas, porque as caixas boas para além de fazerem falta para o dia a dia acabam por se estragar no congelador e assim estas depois de virem do congelador vão para o lixo.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Torta de laranja Paleo sem gluten e sem açúcar

Esta torta de laranja é uma excelente alternativa para quem gosta de um docinho, mas não quer abusar dos hidratos de carbono, seja por um motivo ou outro, seguindo uma dieta de emagrecimento, ou simplesmente seguindo um modo de alimentação diferente e mais cuidado.

Ultimamente tenho seguido um grupo de dieta paleo, não porque siga a dieta, mas porque uma amiga me adicionou e como acho o principio interessante, vou lendo umas coisas e tirando as minhas conclusões.
Cá em casa não é fácil seguir esta dieta, porque nos seus princípios básicos há dois ou três elementos difíceis de seguir pelos meus homens:
  • corte radical nos hidratos de carbono e gluten. 
  • corte radical nas leguminosas e grãos em geral. 
  • consumo exagerado de carne e de produtos animais.

  • O mais pequeno está em fase de crescimento acelerado, pratica um desporto que lhe consome muita energia, para além da que dispende normalmente, adora pão, e leguminosas, não lhe posso dar no fim de um treino uma panqueca sem gluten e sem hidratos de carbono e umas frutinhas, se ele come 3 ou 4 pães, sem nada dentro, adora feijão, grão...
  • O mais velho tende mais para uma dieta vegetariana, por isso muito difícil de convencer a aderir a uma dieta onde se usa e abusa da carne e dos produtos de origem animal.


Do modo de vida Paleo e do que tenho lido, vou introduzindo algumas alterações á dieta cá de casa
  • comprar e consumir mais produtos de origem biológica, ou de melhor qualidade.
  • deixei de comprar peixe de aquacultura.
  • deixei de comprar frango no talho, ou compro do campo, ou compro a criadores particulares, que me dão algumas garantia e carne em geral tento comprar de melhor qualidade.
  •  tenho minimizado o consumo de tudo que vem em latas e frascos e embalados em geral.
  • Óleo já não usava, há muito tempo que só uso azeite 
  • Queijo tento comprar o que não tem aditivos
  • Manteiga e leite compro dos Açores, pensando que as vacas lá vivem mais felizes e comem mais pasto e menos rações.
  • Açúcar só uso nos bolos e bolachas que faço, mas compro amarelo ou mascavado, não deixa de ser açúcar, mas é menos refinado que o outro.
  • Usar mais frutos secos para os intervalos
Esta torta fiz porque vi uma fotografia no blog da minha amiga Márcia, acérrima defensora desta dieta/modo de vida, gostei do aspecto e a receita pareceu-me bem, experimentei e gostei...
Não é a torta de laranja a que estamos habituados, aquela que leva 500gr de açúcar, que até baba a calda, por todos os poros, mas ficou boa e principalmente linda e perfeita :) 

2 laranjas
50gr de polvilho doce
2 colheres de sopa de mel
8 ovos
60 gr de ghee ou manteiga eu usei manteiga

Tirar a casca das laranjas e a parte branca e reduzir a puré eu usei o meu robot de cozinha.
Juntar os restantes ingredientes e bater bem, 1 min. vel.5
Colocar papel vegetal no tabuleiro do forno. Deitar a massa e levar ao forno durante 25 min a 180. mas depende do forno e do tamanho do tabuleiro.
Verificar com o palito e ter o cuidado de não deixar cozer demais para não ficar seca.
Desenformar sobre um pano humido, eu desenformei sobre outra folha de papel vegetal e enrolar.
Ficou aprovada por mim, os restantes provadores gostaram, mas não adoraram.

sábado, 11 de março de 2017

Arroz de Feijão com Tomate

Arroz de feijão quem não gosta.
Cá em casa gostamos muito, um excelente acompanhamento para carnes grelhadas.
Normalmente não ponho tomate, costumo por pimentos, mas como não tinha meti polpa de tomate e ficou muito bom.

Para arroz assim com calda prefiro o arroz carolino, este da marca Bom Sucesso é fantástico para este tipo de pratos.


1 cebola pequena
3 dentes de alho
1/2 chouriço
1 cenoura média
1 frasco de feijão cozido
1 copo de arroz carolino Bom Sucesso
1 cubo de polpa de tomate
Sal
Azeite
Folha de louro

Fazer um refogado com a cebola, alho e azeite, juntar o chouriço cortado em cubinhos e a cenoura também partida fina e a folha de louro para aromatizar.

Juntar o feijão previamente cozido com um pouco de água de cozer o feijão, eu cozo em casa, mas a quantidade é o correspondente ao frasco de feijão, juntar o cubo de polpa de tomate e deixar o feijão ganhar os sabores, verificar o sal eu junto pouco porque o chouriço é salgado e o feijão também leva ao cozer.

Juntar água suficiente para fazer um arroz com caldo, normalmente meto o duas vezes e meia de água da quantidade de arroz, tendo em conta que o refogado já tem alguma calda.

Logo que comece a ferver juntar o arroz a marcar 12 min.


Servir com carne grelhada ou peixe frito a gosto, cá em casa acompanhei com uma grelhada mista de carne.

Parceria com Arroz Bom Sucesso

quarta-feira, 8 de março de 2017

Bolachinhas de claras e amêndoa

Bolachinhas de claras que mais parecem uma nuvem, daquelas que trincamos se desfazem na boca.

O meu filho que não gosta nem come frutos secos e nada que os contenha, nem nutela só porque vê as avelãs na capa, comeu estas bolachinhas e deliciou-se, quase não deixava nada para nós.

Deliciosas mesmo e uma excelente sugestão para aproveitamento de claras.


2 claras 
125 gr de farinha de amêndoa
200gr  de açúcar em pó
2 colheres de sopa de açúcar
1 pitada de baunilha em pó

Primeiro separe as claras e deixe-as a envelhecer numa chávena tapada em cima da banca para perderem um pouco de humidade.

Pré aquecer o forno a 150º.
Pulverizar muito finamente a farinha de amêndoa junto com o açúcar em pó num processador ou num robot de cozinha e passe numa peneira fina.

Bater as claras e quando começarem a ficar em castelo firme, juntar as colheres de açúcar uma a uma e continuar a bater até ficar um suspiro não muito duro.

Adicione então a farinha de amêndoa peneirada por 2 ou 3 vezes e envolva com muito cuidado de baixo para cima para não perder volume.

Meter num saco de pasteleiro e formar círculos pequenos e afastados uns dos outros em cima de um tabuleiro forrado com papel vegetal.

Deixe descansar por um pouco e leve depois ao forno pré- aquecido a 140 durante 15 a 20 min, no meio do forno e de preferência com ventilação, deixe arrefecer um pouco antes de retirar as bolachinhas do papel, para não se partirem.


Ficaram umas bolachinhas deliciosas que voaram de tão leves.

sábado, 4 de março de 2017

Risotto de cogumelos Portobelo e Champinhons

Quem gosta de Risotto?
Eu adoro, não sou fã de arroz seco sem sabor, mas um Risotto adoro, cremoso e super saboroso.

Esta mistura tem tudo para ser melhor ainda, porque sou fã de cogumelos.

A receita adaptei das que já costumo fazer cá em casa, um misto de muitas que se encontram nos livros mas á minha maneira.



1 cebola
300g de arroz risotto bom sucesso
1 copo de vinho branco
1 cubo de caldo de galinha
2 colheres sopa de manteiga
50g de queijo parmesão ralado na hora
1 limão

Cogumelos a gosto usei portobelo e cogumelos paris
3 colheres sopa de azeite
Salsa a gosto

Primeiro ferva 1 litro de água e junte o cubo de caldo de galinha ou legumes a gosto e reserve. O caldo pode ser feito caseiro e é bem melhor, eu sempre que possível faço.

Descasque e pique muito fina a cebola. Corte de modo grosseiro os cogumelos.
Num tacho com três colheres de azeite meta a cebola e deixe refogar por 20 a 30 minutos, juntando a meio os cogumelos.

Junte o arroz mexa bem e adicione o copo de vinho branco mexendo sempre.

Á medida que for secando vá juntando aos poucos a água com o caldo de galinha até tapar o arroz.
Deixe cozinhar em fogo médio e mexa de dois em dois minutos. e vá juntando caldo á medida que o arroz seca e até o arroz estar cozido, mais ou menos 18 minutos.

Tire do fogão e acrescente manteiga e o queijo parmesão.


Se achar que o Risotto está seco, pode-se acrescentar mais um pouquinho de caldo.
Finalize com umas gotas de limão e a salsa picada a gosto. Tape a panela e deixe descansar por dois minutos.

Este foi o primeiro arroz que fiz desde que recebi o belíssimo cabaz do Arroz Bom Sucesso, uma marca de arroz 100% produção nacional e comercializado pela Orivárzea.


Delicioso, este arroz faz a diferença, mesmo para os mais descrentes que acham que o arroz é todo igual.....