quinta-feira, 29 de março de 2018

Boa Páscoa

Desejo a todos que visitam o meu blog
amigos e família e a todos que por aqui passam de vez  em quando,
para deixar um comentário de incentivo (ou não)
uma Santa Páscoa.

Que seja docinha e sobretudo acompanhada das pessoas que mais gostamos.


Se precisarem alguma sugestão de gulodices é só procurar por aqui, há muitas.


Hoje não há sugestão, deixo em vez de ovinhos e bolinhos, um quadro primaveril.

Boa Páscoa e até um dia destes, o blog vai comigo de férias :)

terça-feira, 27 de março de 2018

Bolo de iogurte e creme de avelãs

A saga para gastar o creme de chocolate que comprei e ninguém gostou continua.

Gourmet, produto de qualidade superior, mas que não convenceu os chocoadicts cá de casa.



domingo, 25 de março de 2018

S. Petersburgo a rainha do norte 2º dia

Segundo dia em S. Petersburgo, venham comigo dar uma vista de olhos, pela cidade.

Neste dia tivemos que levantar cedo para aproveitar ao máximo o que a cidade teria para nos oferecer, saímos então de autocarro para o Palácio de Catarina.


sexta-feira, 23 de março de 2018

Tarte de maçã ou super scone de maçã

Esta tarte de maçã é a melhor tarte que comi nos últimos tempos, vi na página de uma blogger ucraniana que sigo e que gosto muito.

Fiquei curiosa, pela descrição que ela faz do resultado, ela diz que não sabe se lhe deve chamar tarte de maçã ou um super scone de maçã, tem a elegância de uma tarte de maçã e o crocante suave e amanteigado de um scone.

Fácil e rápida, bem ao meu jeito, decidi experimentar, só que teve um ligeiro percalço, na tradução da receita perdi-me com uma chávena de chicoteado pesado (tradução do google tradutor) eu percebi que seriam natas, mas esqueci-me... e foi mesmo sem elas.

Não sei se foi por isso, mas a massa ficou tão crocante e manteiguda que é impossível resistir a comer fatias atrás de fatias.... deliciosa mesmo.


1 ovo grande
1+1/2 chávena de farinha (186gr)
1/4 chávena de açúcar (48gr)
1/4 colher de chá sal fino
2 colheres chá fermento em pó
1/2 chávena de manteiga sem sal
1/2 chávena de natas a tal que não meti :)


3 maçãs médias, meti mais
1/4 de chávena de açúcar
1 colher de chá de canela em pó
1+1/2 colher de sopa de manteiga



Misturar e peneirar a farinha, com o açúcar, o sal e o fermento.

Partir a manteiga gelada em cubinhos pequeninos e juntar ao preparado da farinha.
Com um acessório de metal, esmagar bem a manteiga até se misturar bem com a farinha


Numa taça bater o ovo com as natas e misturar na pasta anterior, misturando com uma espátula e colocar na forma de aro amovível, sem a preocupação de que a massa fique muito homogénea.
Espalhar bem.


Descascar 3 maçãs e retirar o caroço, partir em laminas bem fininhas.
Polvilhar com o açúcar, misturado com a canela, envolver muito bem a maçã com este preparado.


Espalhar as laminas de maçã em cima da massa que já está na base da forma.
por cima espalhar umas nozinhas de manteiga.




Levar ao forno a cozer a 200 durante 20 minutos.

Já fizeram like???? Cininha

quarta-feira, 21 de março de 2018

O livro dos sabores perdidos de Nicky Pellegrino

Para sugestão de leitura num blog em que o tema principal é comida, esta escritora e este livro são o top, the best offfff.

Adoro ela e a escrita dela, a Itália sempre bela, quente e cheia de aromas e paixões.

Este livro é de leitura compulsiva, não conseguimos deixar de ler, as paisagens Italianas, os cheiros da comida mediterrânica, a pasta, mozzarella, o molho de tomate caseiro, sempre a borbulhar, a cozinha da avó, o chocolate caseiro......

Se todos os livros dela são bons, este supera tudo porque trata de férias e cursos de culinária na bela Itália, com um belo professor, quem gosta de viajar e ainda gosta de cozinhar e aprender coisas novas sobre cozinha, este é o sonho......


Wook.pt - O Livro dos Sabores Perdidos
Imagem retirada do site wook

O livro não é grande, mas li "de uma assentada", como se diz na minha terra :) uma história deliciosa, de 4 meninas que vão para Itália à procura de férias, diversão e muito mais, inscritas no curso de culinária do belo Luca....

SINOPSE

As colinas de Favio, uma pequena vila siciliana, escondem um tesouro inesperado: a Escola de Culinária de Luca Amore. Ao pendurar quatro aventais limpos para o novo curso que se avizinha, Luca antecipa a rotina do costume: preparar belas refeições com iguarias locais, visitar aromáticas vinhas e olivais a perder de vista, proporcionar momentos agradáveis às suas quatro alunas e desejar-lhes uma boa viagem de regresso a casa. 
Ao dirigir-se ao aeroporto, o jovem não imagina que a sua vida está prestes a mudar… e muito. Acabadas de chegar, Moll, Tricia, Valerie e Poppy são muito especiais. Eis o que Luca ainda não sabe sobre elas: uma esconde um segredo, outra espera voltar a encontrar o amor, outra tenta desesperadamente fugir à sua própria vida e a última já o conseguiu. 
E quando lhes dá as boas-vindas e coloca gentilmente sobre a mesa uma garrafa de Prosecco e cinco copos, Luca inicia um curso de culinária muito diferente dos anteriores. Mas essa é mais uma coisa que ele não pode saber… ainda.
Dos Livros que tenho e li gostei de todos, destaco



segunda-feira, 19 de março de 2018

Bolo de limão e leitelho

Há modas em tudo, na roupa, nas decorações e na gastronomia é igual, até há poucos anos nunca tinha ouvido falar de leitelho, depois começou a aparecer nos blogs em receitas de bolos.

Eu como gosto de experimentar coisas novas, há algum tempo atrás, experimentei fazer o leitelho caseiro, com o leite e o vinagre.
Há algum tempo, abriu um novo supermercado cá em Coimbra, de uma cadeia que já conheço há muitos anos da Alemanha e como também gosto de cuscar e saber das novidades, de vez em quando passo lá para ver o que há por lá de diferente e encontrei na secção dos iogurtes este leitelho embalado e trouxe para experimentar, depois foi só procurar uma receita e um bocadinho de uma e menos de outra cheguei a este resultado.



domingo, 18 de março de 2018

S. Petersburgo a rainha do norte

As coisas que correm menos bem, são sempre as que dão histórias melhores para contar depois e das quais nunca nos esquecemos.


sábado, 17 de março de 2018

Pudinzinhos de leite condensado

Para quando apetece um docinho rápido ou precisamos de uma sobremesa rápida, estes pudinzinhos são uma boa escolha.
Muito fáceis e rápidos de fazer e se o forno estiver quente, ou a preparar outra coisa melhor ainda.
Podem-se cozer também no microondas e é mais rápido ainda, eu não gosto tanto da consistência.


sexta-feira, 16 de março de 2018

Quiche de atum e legumes

Hoje uma sugestão para os jantares preguiçosos de sexta feira, depois de uma semana de trabalho o que apetece é descansar e preguiçar.

Quiche de atum penso que nunca tinha feito, mas experimentei e fiquei fã.

Para variar das habituais de carnes e fumeiros achei uma boa ideia.


quinta-feira, 15 de março de 2018

Arroz integral de cogumelos

Desde que experimentei o arroz integral que fiquei fã, o sabor é óptimo e a textura ligeiramente diferente do normal, é um pouco mais consistente, mais duro, mesmo depois de bem cozido.

Para além do sabor ser bom, temos ideia de que o que é integral faz melhor à saúde do que o branqueado, por isso faz todo sentido usar mais este do que os outros.




quarta-feira, 14 de março de 2018

A Viela da Duquesa de Sveva Casati Modignani

Em dia de leitura hoje deixo mais uma escritora que eu gosto muito, tenho montes de livros dela e dois autografados.



Ela veio a Coimbra dar uma sessão de autógrafos a convite de uma grande superfície e eu lá fui com dois livros dela para a fila e esperei uma boa hora para os assinar.

O primeiro que comprei dela e o que estavam a promover nessa data A cor da Paixão.
A senhora ficou muito admirada quando lhe disse que era para dedicar os dois à mesma pessoa (eu) 😀 não deve ser normal, mas teve sorte não os ter levado todos 😁😁


A viela da Duquesa foi o primeiro que li dela e fiquei fã, as histórias sempre parecidas, mas sempre diferentes, literatura fácil, boa para descontrair, romances normalmente em duas épocas e personagens principais, normalmente mulheres e as suas histórias de família, sempre passadas na sua Itália e de preferência em Milão e entre classes sociais diferentes.

Wook.pt - A Viela da Duquesa
Gosto muito deste tipo de contos maravilhosos, de glamour, mulheres bonitas e corajosas.

Dos livros que tenho dela, destaco estes

Desesperadamente Giulia

Baunilha e chocolate

A Siciliana

6 de abril `96


SINOPSE da Viela da Duquesa
Itália, início do século xx. Uma série de circunstâncias dramáticas aproxima duas jovens mulheres numa amizade improvável; uma é a condessa Josepha Paravicini, austríaca e recém-viúva do príncipe Enrico de Castiglia, a outra é Teresa Avigliano, uma jovem napolitana de origens humildes, recentemente órfã de mãe.

Entre a Áustria e Itália, o Norte e o Sul, ambas atravessam o século xx, sofrem duas guerras mundiais, vivem os dramas da ditadura fascista e os tempos difíceis da reconstrução, mas sobretudo ousam amar e inventar a esperança num período em que a hostilidade e o desespero dominam.

Em A Viela da Duquesa, Sveva Casati Modignani entrelaça elegantemente as histórias destas duas mulheres corajosas e das suas famílias, construindo assim um mosaico assombroso do século xx.


Espero que gostem desta sugestão, para ver os resumos é só clicar nos nomes a azul.

terça-feira, 13 de março de 2018

Legumes no forno

Quem gosta de legumes assados no forno

Sem molho e sem muita gordura adicionada.

Eu sou fã desta modalidade de acompanhamento.

Fácil e rápido e mais saudável.


segunda-feira, 12 de março de 2018

Bolo de iogurte com uma bola de chocolate

Mais um bolo de domingo, este saiu com um efeito espectacular, na minha maneira de ver 😊

E não a bola não é mesmo de chocolate nem gelado como podiam pensar, é mesmo dentro do bolo.

É mais um de iogurte mas tipo bolo mármore, com cacau para alegrar e ser diferente.


domingo, 11 de março de 2018

Helsínquia breve visita

E enquanto não se fazem novas viagens, vou trazendo as que já fiz, por isso e como é domingo, vamos até Helsínquia 

E começo aqui a novela cruzeiros, começo pelo ultimo que fiz no Báltico a começar em Helsínquia e terminando em Copenhaga.

Viajar em cruzeiro é uma forma de viajar.... muitos detestam e outros adoram, penso que não haverá um meio termo.

Vamos a muitos sítios diferentes? vamos...
                           Vemos tudo ao pormenor? não...
                                     Vivemos a realidade local?não...
              Ficamos com uma ideia do que há para visitar? sim....
            e com vontade de voltar? sim 😍



sexta-feira, 9 de março de 2018

Tarte de cogumelos

Desde há algum tempo que não uso cogumelos de lata, por isso sempre que vou à frutaria compro os que por lá encontro e de vez em quando tenho tantos que para não se estragarem tenho que encontrar uma solução para os gastar ou então corto e congelo, ficam prontos para a próxima.

Um dia destes na procura por uma receita encontrei uma de tarte só de cogumelos por aí e achei a ideia interessante, resolvi experimentar uma à minha maneira, juntando mais umas coisinhas.


quarta-feira, 7 de março de 2018

A Profecia: Asura de António Costeira 

Em dia de leitura, resolvi hoje trazer um livro de um amigo, cuja apresentação ocorreu no passado sábado num café histórico cá de Coimbra.

Um ilustre desconhecido que disse no seu discurso de apresentação do livro, que não sabe a partir de quantos livros escritos se pode considerar escritor, uma frase que revela a humildade do escritor que já provou com o primeiro que tem talento.


 A profecia Asura é o segundo livro deste senhor e uma continuação do primeiro A Profecia.

 Wook.pt - A Profecia: Asura
Imagem retirada do site Wook

Quando fui à apresentação do primeiro, fiquei um pouco reticente, um livro que fala de Elfos, dragões e reinos esquisitos, escrito por alguém que nós conhecemos, parece estranho e comprei o livro apenas para ajudar o amigo que estava tão entusiasmado com a publicação do Seu livro... comprei sem grande fé.... já que nem sequer sou leitora deste género de escrita e tema, não aprecio.

Lá vim com o livro para casa, contente porque ainda oferecia uma serigrafia de um pintor cá de Coimbra que também admiro e comecei a folhear o livro por curiosidade e quando dei conta estava presa à história.


Muito bem escrito, uma imaginação fora de série, um livro de acção a fantasia, como dizia um dos apresentadores deste segundo livro, ao melhor nível deste género e adaptado para cinema teria com certeza muito sucesso.

Deixo a sinopse do primeiro livro, para que se perceba melhor a história, retirada do site wook


Sinopse
Nascidos em duas pequenas localidades, situadas em lados opostos das mágicas e frias montanhas do Norte, as Montanhas do Urso, dois jovens são unidos por uma grande amizade, fortalecida por anos de convivência no colégio de Nuria. Cada um à sua maneira, sentem um apelo inexplicável pela vida nas florestas da Montanha, que é tema de conversa sempre que regressam de férias. Não desconfiavam ainda que um destino diferente, fadado por uma Profecia milenar, era a causa de tamanha atração. Num passado muito distante, a harmonia da vida trazida à terra pela benevolência dos deuses sob a forma do Livro das Runas, é posta em causa quando a soberba de Davdak, meio homem, meio elfo, exige o Livro só para si. Com o equilíbrio da natureza alterado, e o Livro Sagrado perdido, uma catastrófica ira da natureza e dos deuses envia Naur’Can, a bela capital de Alagosadhar, para as profundezas das areias do deserto, provocando o êxodo do povo para sul em busca do restabelecimento perdido. Para trás, ficam centenas de anos de existência próspera e pacífica, mas também a esperança, fundamentada numa Profecia que Angolon, o mais sábio dos Dragões, forjou: «O inverno do mundo será longo. Um dia o Livro abrir-se-á e de um futuro distante virá o Guerreiro que o beijo dos deuses abençoou. Juntos trarão o equilíbrio perdido em Naur’Can»

Angolon ofereceu à humanidade três ovos de Dragão: um para os elfos, um para os Anões, e outro ainda para os homens. Astrid, a sábia maga que durante anos soubera dar bom uso aos ensinamentos do Livro das Runas, soube também distribuir os mágicos ovos de Dragão pelos três povos, juntamente com a Profecia para a qual todos se deviam preparar. Mas Davdak não desistira ainda de recuperar o Livro das Runas e acrescentara à sua ambição, como vingança do exílio a que fora votado, o domínio absoluto de todos os povos. Depois de centenas de anos a preparar-se, encontrou no reino dos homens terreno fértil e o momento ideal para retomar a sua ambição, fazendo despertar a Profecia. De cada lado das Montanhas do Urso, a magia que delas emanava desde tempos remotos, transformou as férias dos dois jovens estudantes e amigos, chamando-os a intervir no epílogo da ancestral Profecia.

O segundo livro continuação do primeiro, já está na prateleira à espera de vez para o ler, quem quiser ver a sinopse é só passar pelos links que deixei e ler, parece-me que promete como o primeiro.

Para mais saber mais novidades passe pela página Cininha

terça-feira, 6 de março de 2018

Bacalhau com grão e ovo

Por vezes mais que uma receita, precisamos mesmo de uma sugestão, uma ideia.

O que é o jantar? o que é o almoço?

Quem nunca ouviu esta frase e quem nunca se irritou, por não saber o que fazer....

Cá em casa acontece muito, há quem faça ementas semanais, diz que ajuda... eu nunca fiz, mas por vezes pedem-me.

Mais que uma receita, precisamos sugestões rápidas e fáceis, porque chegar a casa tarde e ter ainda um monte de tarefas para fazer, não combina muito com pratos muito elaborados.

O que há mais fácil de fazer que isto, quase nada, nem precisa descascar nada, nem arranjar nada, nem refogados e nem assados.....

Podemos utilizar grão de compra já cozido em frasco ou lata, que é ainda mais fácil.
Eu por norma gosto de cozer o grão e o feijão cá em casa, sempre se poupa alguns aditivos, corantes e conservantes...


Bacalhau
Ovos
Grão cozido
Cebola.
Salsa
Azeite


Demolhar o grão de véspera e cozer.

Cozer o bacalhau também demolhado e os ovos, picar uma cebola e salsa para quem gostar e já está. Regado com bom azeite, um prato bem típico da cozinha portuguesa.

Simples, rápido e muito bom, cá em casa eu era a que menos gostava deste prato, agora sou fã.

Para mais novidades e fotografias sigam Cininha

segunda-feira, 5 de março de 2018

Gelatina de iogurte ou iogurte de gelatina.

Uma sugestão de apresentação diferente de gelatina e neste caso misturei iogurte.

Podemos fazer com gelatinas de cores diferentes ou juntar iogurte.



domingo, 4 de março de 2018

Restaurante A capela no Freixinho

E como domingo é dia de passeio hoje venham comigo almoçar na zona das Terras do Demo.


O restaurante A capela fica no Hotel Convento Nossa Senhora do Carmo  no Freixinho e para quem não sabe onde fica o Freixinho, eu também não sabia, fica para trás do sol posto, na zona de Sernancelhe, parece-me o sitio mais conhecido na zona, numa aldeia típica muito agradável.
Fica muito perto da barragem de Vilar e da localidade de Ferreirim.

sexta-feira, 2 de março de 2018

Semifrio simples de morango

E quando nos pedem um cheesecake ou um semifrio, mas não apetece ter tanto trabalho a montar e desmontar.......

Sai uma sobremesa fácil e rápida de fazer.
Sem a base tradicional de bolacha moída com manteiga,  mas com umas bolachinhas de cacau só para disfarçar, numa travessa e sem forma para desenformar.


1 pacote de natas frescas
1 lata de leite condensado
2 iogurtes gregos com pedaços de morango
1 gelatina de morango
Bolachas de cacau



Primeiro preparar a gelatina com metade de água indicada no pacote e deixar arrefecer à temperatura ambiente.

Bater muito bem as natas frescas em chantilly e em seguida envolver o iogurte e o leite condensado sem bater mais, reservar

Molhar numa parte da gelatina preparada as bolachas suficientes para cobrir o fundo do recipiente onde se vai colocar a sobremesa e rejeitar o restante, porque fica com migalhas das bolachas.

Por ultimo juntar a restante gelatina de morango ao creme e bater bem para ficar homogéneo.

Levar ao frigorífico para solidificar e já está. 😍fácil e bom 😉


quinta-feira, 1 de março de 2018

Arroz de lentilhas

Ultimamente tenho comprado lentilhas para sopa e gosto muito, mais fáceis de usar que o feijão e grão, porque nem e preciso demolhar muito.

Já andava há algum tempo com vontade de experimentar em arroz.

Fiz tal como se fosse arroz de feijão.
Cozi uma chávena de lentilhas verdes e guardei a água.


1 cebola pequena
3 dentes de alho
1 chávena de lentilhas 
1 copo de arroz carolino Bom Sucesso
 Polpa de tomate caseira
Sal
Azeite
Folha de louro

Fazer um refogado com a cebola, alho e azeite, juntar a folha de louro para aromatizar.

Juntar as lentilhas previamente cozidas com um pouco de água onde cozeram, a polpa de tomate e deixar estufar um pouco para ganhar os sabores, verificar o tempero.

Juntar água suficiente para fazer um arroz com caldo, normalmente meto o duas vezes e meia de água da quantidade de arroz, tendo em conta que o refogado já tem alguma calda.

Logo que comece a ferver juntar o arroz a marcar 12 min.

Servir com carne grelhada ou peixe frito a gosto, cá em casa acompanhei com uma grelhada mista de carne.

E ficou aprovado o arroz de lentilhas

Parceria com Arroz Bom Sucesso