segunda-feira, 24 de março de 2008

Covilhã cidade neve

A minha cidade e como não podia ser, tinha que deixar aqui um registo desta cidade que me está sempre no pensamento e no coração e á qual não posso deixar de voltar sempre.
É uma cidade em que a história foi practicamente apagada, não tem grandes pontos de interesse turistico nem cultural, para além da passagem para a Serra da Estrela, é frequente ver-se por lá turistas de mapa em punho á procura do centro histórico e onde estárá ele????
A antiga Judiaria e a zona de Santa Maria













Desse centro histórico que vale a pena referir apenas algumas igrejas, a de Santa Maria e a da Misericordia



















As capelas do Calvário que segundo consta têm umas pinturas magnificas, mas não estão á disposição dos olhos de quaquer pessoa

















e a capela de S.Martinho actualmente na posse da Universidade que á semelhança da outra a mantem longe dos olhares do povo.





Espaços verdes tem alguns pequenos jardins. Entre eles O jardim envolvente do Monumento a Nossa senhora da Conceição que de Jardim tem pouco mas tem umas vistas magnificas sobre a cidade e a cova da beira.
E com umas vistas igualmente boas o jardim publico, o mais antigo da cidade que fica ao lado da Igreja de S.francisco também digna de uma visita.








O jardim do Lago o mais recente espaço verde nesta cidade é um espaço agradável, moderno e
que cumpre bem a sua função de espaço de lazer.









A beleza da cidade para mim reside no facto de ter um horizonte aberto sempre com a serra ou o vale da cova da beira como pano de fundo, um céu sempre de um azul encantador e aquele calorzinho de verão e o frio cortante no inverno. O ar puro que se respira e as cores

3 comentários:

  1. Gostei de rever a cidade onde
    cresci. Agora mais arejada mais bonita, mas só a Serra a dar nome, é verdade.
    Vivi com o meutio oCónego Andrade. Bom....lembranças.
    Obrigado pelo momento.

    ResponderEliminar
  2. Morei quase dez anos da minha infância e juventude na Covilhã, em duas fases distintas. Primeiro, na infância. Depois, regressei para estudar. Hoje, moro em Lisboa. Não há um único dia em que não me recorde da luz doce e clara da Cova da Beira. Não há nada que substitua o abraço vertiginoso da Serra, a luz amarelada das ruas, à noite. As ruínas de outros tempos espalhadas pela cidade e a visão aconchegante da Gardunha e do Fundão. A Covilhã é, sem dúvida, um dos sítios mais bonitos do país. E entranha-se. É cidade mística. De encantos. De surpresas. De magias.
    Por isso, entristece-me muito saber que está a definhar. Cada vez há menos vitalidade económica. As gentes fogem para o litoral. Não existem quaisquer políticas para combater essa debandada.
    É com grande pena que assisto a esta espécie de morte lenta. Eu própria... se pudesse voltar e ficar para sempre... não hesitava.

    A nossa casa é onde mora o nosso coração.
    RR

    ResponderEliminar
  3. Eu sou uma recente habitante da Covilhã:)
    Adoro-a, pela sua simplicidade, pelas suas paisagens, gentes...:)

    ResponderEliminar

Não passe sem deixar um miminho :)