quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

A ilha Victória Hislop

Uma escritora e três livros que gostei muito

Esta escritora descobri por acaso, ao comprar este livro A Ilha  nas promoções do sitio do costume, gostei tanto que depois deste comprei A Arca e O Regresso.

Imagem do site wook

A escrita e estilo é o mesmo, as histórias totalmente diferentes, um ponto em comum todos nos levam a viajar até algum sitio e a sua escrita é de tal maneira descritiva e simples que sem dar conta estamos a percorrer os caminhos com as personagens.
Um pouco de viagem e um pouco de história são os ingredientes comuns

Se na ilha vamos até a Grécia para encontrar personagens encantadoras e uma história que nos prende, (deixo a sinopse para abrir o apetite)

Na Arca voltamos à Grécia e Turquia, para fazer parte do conflito entre estes dois países  e dos destinos das familias que aí viviam pacificamente até que se viram envolvidos e separados pela guerra.

Em O Regresso mergulhamos na Espanha de Franco e da ditadura, na guerra civil espanhola. Percorremos a linda cidade de Granada e acabamos na construção da grande basilica memorial de franco no valle dos caídos, os caídos na guerra....

Podia ter escolhido qualquer um para deixar a sinopse, escolhi a Ilha porque foi o primeiro que li.

Sinopse
Num momento em que tem que tomar uma decisão que pode mudar a sua vida, Alexis Fieldings está determinada a descobrir o passado da sua mãe. Mas Sofia nunca falou sobre ele, apenas contou que cresceu numa pequena aldeia em Creta antes de se mudar para Londres. Quando Alexis decide visitar Creta, a sua mãe dá-lhe uma carta para entregar a uma velha amiga e promete que através dela, Alexis vai ficar a saber mais. Quando chega a Spinalonga, Alexis fica surpreendida ao descobrir que aquela ilha foi uma antiga colónia de leprosos. E então encontra Fotini e finalmente ouve a história que Sofia escondeu toda a vida: a história da sua bisavó Eleni, das suas filhas e de uma família assolada pela tragédia, pela guerra e pela paixão. Alexis descobre o quão intimamente ligada está àquela ilha e como o segredo os une com tanta firmeza.

Victoria Hislop é escritora e jornalista. Escreve artigos sobre viagens para o The Sunday Telegraph, artigos sobre educação para o Daily Telegraph e diversos artigos generalistas para a Woman & Home. Atualmente, vive em Kent com a sua família. Depois de publicar o seu primeiro romance, "A Ilha", Victoria Hislop foi aclamada pela crítica e acarinhada por milhares de leitores.
Retirado do wook
Neste site estão agora promoções fantásticas, com montes de livros a 50% passem por lá para dar uma vista de olhos, entrem aqui««« para ver

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Sopa de lentilhas

Esta leguminosa é muito puco usada, mas é um alimento muito bom, rico em vitaminas, minerais e ferro, apesar de ser rico em hidratos de carbono, há estudos que dizem que ajuda a estabilizar o açúcar no sangue e a diminuir o colesterol, pelo seu alto teor de fibras, outro beneficio é a nível cardíaco ajuda a proteger o coração pelo alto teor de folatos e magnésio.

Por isso um alimento a não desprezar, mas eu cá em casa também uso pouco, a única coisa onde uso é na sopa e gosto muito do sabor que lhe confere, noutras coisas nunca usei.

A lentilhas são de todas leguminosas as mais práticas de usar na sopa, porque, não precisam estar muito tempo de molho e cozem muito mais rápido, nem precisa panela de pressão.

Para fazer esta sopa pulverizei no robot de cozinha e usei assim mesmo em pó, em vez de demolhar.


Couve a gosto
Lentilhas
Chuchu
Cenoura
Abóbora
Sal
Azeite


Pulverizei as lentilhas no robot de cozinha, mas na falta dele basta demolhar algum tempo,( pouco).
Cozer junto com os restantes legumes.

Triturar e juntar a couve partida a gosto, eu gosto de juntar também uma cenoura extra partida aos cubinhos e o azeite, deixar ferver até a couve estar cozida a gosto.

Encontrem-me no facebook também aqui«««

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Bolo de queijo quarq

Comprei o queijo quarq para alguma coisa que não um bolo, mas depois rapidamente saltou para a taça do bolo semanal.

Uma maneira de variar nos bolos de fim de semana, para não ser sempre o mesmo, mas sendo sempre simples, porque é o que o pequeno gosta, simples e práticos para levar para a escola.

Deste pouco sobrou para ir para a escola, porque vieram uns amigos lanchar e foi-se quase todo.


domingo, 14 de janeiro de 2018

Santillana del Mar uma das vilas mais bonitas de espanha

E porque domingo é dia de passeio venham comigo até esta vilinha linda.

Descobri esta vila maravilhosa por sugestão de um amigo, numa viagem que pensei fazer pelos picos de Europa a terminar em Bilbao, cheguei à conclusão que seria pouco tempo para fazer a rota que queria e então resolvi mudar o rumo e fomos aqui parar.

Um sitio encantador, pertence à rede das Aldeias mais bonitas de Espanha..  É conhecida por ser a vila das três mentiras, não é santa, não é llana (plana) e não tem mar.

É uma das vilas mais visitadas da região, perto das Grutas de Altamira (post aqui) classificadas como património da humanidade pela UNESCO, foi declarada conjunto histórico-artístico em 1889

É uma vila cheia de flores, varandas e brasões, casas antigas todas muito bem cuidadas.



sábado, 13 de janeiro de 2018

Cheesecake de frutos do bosque vestido de Charlotte

Cheesecake rima com festas, não rima pois não.... mas cá em casa rima.... tenho dois fãs em casa, filho e irmão, por isso sempre que há uma ocasião especial tenho que fazer.
Este fiz no natal e para ficar ainda mais festivo e bonito fiz com uma vestimenta de Charlotte, ficou lindo e bom :) 

Os que eu gosto mais são de frutos vermelhos, por isso juntamos os gostos de uns com os de outros e sai quase sempre de morango ou fora da época deles sai mesmo de frutos do bosque que também gosto muito.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Pão recheado com farinheira e cogumelos

Este pão é mais um petisco que podemos fazer para entrada em festas ou mesmo para o dia a dia, fica sempre bem num lanchinho.

Junta duas coisas que eu adoro farinheira e cogumelos e é muito simples e rápido de fazer.

Esta ideia surgiu por acaso, tinha feito recheio para cogumelos e sobrou muito, lembrei-me de encher um pão e levar também ao forno, resultou uma ideia maravilhosa


quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Paula de Isabel Allende

Ano novo e mudanças estão muitas vezes associados, por aqui no blog estou empenhada em trazer algumas modificações, 

Ser mais activa é um plano.

Trazer algo de viagens e passeio ao domingo é outro plano.

Para a quarta feira escolhi os livros, ultimamente tenho lido menos, mas tenho sempre um livro em aberto em cima da mesinha de cabeceira.

Hoje para começar deixo uma sugestão de uma escritora que gosto muito, uma das minhas preferidas, em determinada altura li tantos seguidos que achei que já sabia mais da vida dela do que ela própria, nessa altura parei, mas gosto muito e de vez em quando volto lá. Tenho um novo dela para ler, ainda que não seja o ultimo Para lá deste inverno fica para a próxima compra



O primeiro que li foi A casa dos espiritos, gostei muito do O Plano infinito e do De amor e de sombra
a politica, a emigração e os espíritos sempre presentes nas obras dela. 

Da série de livros juvenis que escreveu, comprei um para ver como era, gostei bastante e  O bosque dos pigmeus foi um dos livros que agarrou mesmo o meu filho, como nenhum outro, o que é muito significativo para um jovem que "não gosta de ler"

Hoje deixo um dos que gostei mais dela Paula um livro autobiográfico que nos conta a vida da escritora através da história que ela vai contando à filha quando esta se encontra em coma.
A autora conta a história da vida dela à filha na esperança de que esta conserve a memória quando acordar...
É um livro comovente e muito intenso, recomendo.

                                                                                       A capa do meu velhinho

A sinopse é da wook, onde compro agora os meus livros, rápidos na entrega e sempre boas promoções e os pontos não caducam no cartão como noutras livrarias físicas....

SINOPSE
Paula, com um forte cunho autobiográfico, é uma das obras mais intensas de Isabel Allende, que nos faz revisitar o universo mágico dos seus primeiros romances.

Paula, a filha da escritora, adoeceu gravemente, entrando pouco tempo depois em coma. Durante meses no hospital, a autora começou a escrever a história da família para a filha, que permanecia inconsciente. Nesse relato somos levados a conhecer os segredos e recordações mais íntimos do seu passado e do seu país natal, o Chile, ao mesmo tempo que assistimos às sucessivas tentativas de contrariar e, por fim, aceitar a partida iminente de um ente querido. 

Escrita como uma catarse face à irreversível doença, Paula é uma enorme lição de vida, ao mesmo tempo que nos permite conhecer um pouco melhor o mundo fantástico de A casa dos espíritos e Eva Luna e concluir que as suas personagens pertencem, na verdade, ao mundo fantástico de Isabel Allende: a sua realidade encantada.

Espero que gostem das minhas sugestões, como em tudo o resto o que deixo aqui é o que eu gosto mesmo. Se quiserem ver mais sobre os livros que mencionei é só clicar em cima do nome.

Sigam-me na minha página de facebook  aqui««««

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Arroz de Garoupa

Há peixes que fazem a diferença e a Garoupa é um deles, à posta cozido, ou assado no forno, adoro e quando que vejo na peixaria a cabeça compro sempre, pena que aparece poucas vezes.

As cabeças são enormes e são óptimas para fazer sopa de peixe, massada ou arroz.
A ultima que comprei foi isso mesmo um arroz de peixe.


segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Caldo verde com a couve errada

Pois é quem nunca fez sopa só de puré branco?

Sim porque caldo verde não é sopa é caldo verde 😅😅😅

Esta foi por acaso, mas até soube bem para variar do mesmo sabor, sempre sopa laranja, sempre cenoura, sempre abóbora, sempre leguminosas!!!! cá em casa comemos sopa todos os dias e o sabor é sempre parecido...

Então estava eu a fazer uma base para caldo verde e caldo verde antigamente só levava batata, agora o meu leva outras coisas.


Batata
Courgete
Cebola
Alho
Sal 
Azeite

Quando me dão uma grande quantidade de legumes, como já mostrei noutros posts e cá em casa é frequente, normalmente congelo, são legumes 100% biológicos não se pode desperdiçar e eu até acho que a couve não fica muito diferente da fresca.... bem fica mas nada que incomode ao nosso paladar.

Então depois da base feita e triturada, fui ao congelador buscar a couve, nem olhei bem para o saco... 

Meti a couve para a panela e quando olhei, couves brancas, misturadas com mais escuras é que percebi o erro, era couve tipo do natal, nomes não sou muito conhecedora... cortada para outra sopa, sim porque para caldo verde tem que ser fininha 😊

A verdade é que ficou uma sopinha diferente de couve sem leguminosas e sem os laranjas do costume e ficou bem boa, todos gostámos.
Sabe bem variar de vez em quando e quando falei do erro logo uma amiga me dizia que faz muitas vezes sopa de puré branco...


domingo, 7 de janeiro de 2018

Arte urbana ou street art

Um movimento antigo, mas que tem ganho muitos e novos adeptos por tudo mundo, por cá não fugimos à regra.

Muitas das nossas cidades são agora palco de grandes pinturas murais, não os tradicionais grafites que muitas vezes só sujavam e vandalizavam, mas por verdadeiras obras de arte.
Zonas antigas, prédios decadentes, bairros problemáticos, todos são bons para pintar e dar uma nova vida.






sábado, 6 de janeiro de 2018

Bolo de chocolate com cobertura de creme de mascarpone e frutos vermelhos

Este bolo mais pitada menos pitada já está por aí no blog com muitas apresentações, porque fica muito bom, é rápido e fica enorme, ou seja é muito bom quando se quer um bolo grande para festas e para além disso não há muito tempo a perder.

Este tem diferente a cobertura e a calda para o molhar e posso dizer que ficou divinal este toque fez a diferença.


sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Rosas de bacon, cogumelos e massa folhada

Estas rosas já estão por ai no blog, mas na versão doce, maçã e canela, uma versão que invadiu a blogosfera há algum tempo atrás.

Mas como eu gosto de inventar, imaginei que ficariam bem também na versão salgados, para uma entrada rápida, eficiente e linda, porque os olhos também comem e os meus são os primeiros a comer, resolvi experimentar.

Já fiz duas versões, mais ou menos igual, só com uma ligeira modificação.

Das primeiras fotografei o passo a passo, não tenho o resultado final, das segundas tenho apenas o resultado final  :)

Nas entradas quentes é sempre difícil fotografar tudo, porque ou se come quente e avançamos na comida ou se come frio e não fica tão bom... coisas de bloggers de ocasião :)


quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Saal-Digital Fotoservice álbuns fotográficos

Alguém dos meus amigos conhece a Saal-Digital?


Costumam imprimir fotografias, ou deixam apenas no computador?


Eu sempre gostei muito de fotografia, tanto de as ver no computador, como em papel. 
Mas desde que apanhei um susto com o computador e ia perdendo muitas fotografias, passei a imprimir algumas e melhor ainda comecei a fazer álbuns digitais, muito mais práticos e funcionais.


Mesmo guardando em CD ou em discos extra há sempre o perigo desses electrónicos avariarem e o papel é eterno, quem não tem aquela fotografia de família a preto e branco maravilhosa que já passou gerações...


A Saal que conheci há pouco tempo, veio dar-me a oportunidade de testar os seus álbuns digitais  e resolvi imprimir um de uma das ultimas viagens que fiz em 2017 a Cracóvia.

O resultado foi muito bom, o álbum ficou lindo, simples, mas muito giro.
O modelo foi o que eu escolhi e ficou exatamente como expectável, a qualidade da imagem é muito boa e o papel também.

O programa é muito fácil de utilizar, depois de descarregar para o computador é simples e muito intuitivo tal como outros programas do género.


Obrigada Saal por esta oferta, gostei e com certeza irei fazer outros álbuns e outro tipo de trabalhos.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Sopa de nabiças com abóbora

Para começar o ano como deve ser e digo deve ser no verdadeiro sentido, o sentido daquilo que é efectivamente importante, a solidariedade, amizade e esses valores que tanto se apregoam e muitas vezes nada se pratica....

Um amigo trouxe-me cá a casa um cabaz de ano novo de legumes, puros, 100% biológicos e variados, por isso há que aproveitar para limpar o organismo dos exageros das festas e para isso nada melhor que uma sopinha.

Então no meio de tanta couve, brócolos e alho francês, vinha um molho enorme de nabiças. 
E foi por aí que comecei, optei pelo que se poderia estragar primeiro para gastar mais rápido e fiz sopa de nabiças.


Com uma base de legumes congelados que também me ofereceram noutras épocas e que eu arranjo e congelo para ter sempre à mão como já mostrei aqui.

Courgete
Abóbora
Chuchu
Talos de couve
e ainda com
Cenoura
Batata


Tudo a cozer na panela de pressão super-rápida e em 5 minutos a ferver, está tudo óptimo.

Cortar entretanto a nabiça em Juliana, como se fosse para caldo verde, mas mais grosseiro.

Depois de triturar os legumes, juntar as nabiças, o sal e o azeite. Deixar ferver e já está.

Para quem gosta de legumes all dente é só ferver e desligar, eu deixo ferver mais um pouquinho porque os homens não apreciam assim, esta ficou meio docinha, porque meti muita abóbora e courgete para minimizar o sabor mais ácido das nabiças.

Para mais novidades sigam Cininha facebook 

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Feliz ano novo

Ano novo planos novos, novas expectativas e até algumas mudanças.

Vamos ver o que o novo ano nos reserva, coisas boas e outras menos boas, estamos cá para o enfrentar.

Ao nível do blog, espero conseguir trazer mais coisas e estar mais activa do que nos últimos tempos.

Vou tentar introduzir algumas modificações a vários níveis, espero que sejam do agrado dos meus seguidores e seguidoras, aqueles que me dão alento para continuar.

Quase a fazer um ano de página do blog no facebook e foi um ano muito interessante nesse aspecto, permitiu-me analisar e tirar grandes conclusões do comportamento humano apenas e tão só por esse simples facto..... criar uma página do blog.... mas isso deixo para lá, não me misturo com tais sentimentos....... mas são esses comportamentos que me dão ainda mais genica para continuar, o que não nos derruba deixa-nos mais fortes, já diz o ditado.

Então adiante....

O que eu desejo para mim e para todos os meus seguidores aqui no blog é que tenham um ano novo repleto de coisas boas e principalmente saúde porque o resto a gente corre atrás.

Feliz 2018
E mais um recomeço :)