domingo, 1 de março de 2015

Rolinhos de salmão

Ultimamente o blog anda um pouco (muito) ao abandono, mas por muita vontade que tenha não consigo por aqui nada, não tenho tempo e como eu gosto de fazer as coisas bem, á pressa não sou capaz, é preciso muita disposição mental para escrever e organizar as coisas.

O único tempo que tenho para me sentar ao computador é sempre com o meu filhinho ao lado a estudar, tal como agora está aqui ás voltas com as frases activas e passivas...... o que torna as coisas difíceis.

Tenho bastantes fotografias  só que algumas já foram feitas há tanto tempo e algumas não as organizo logo que as passo para o computador e quando preciso já nem sei bem do que se trata, outras vezes sei que tenho fotografias e não sei em que pasta estão, devem andar no meio de algum passeio, festa familiar ou sei lá onde.....

Estes rolinhos já são da passagem de ano, assim anda o atraso das postagens...

Já tenho visto imagens de rolinhos de salmão com muito bom aspecto a circular em blogs e revistas, no fim de ano passado resolvi experimentar.

Nem ficou muito bonito, nem tão grande como parecia nas imagens que tenho visto e nem muito bom....

Fiz com pão de forma sem côdea, como recomendava na receita que vi e não se consegue enrolar muito bem, porque parte, se calcarmos o pão, não fica tão bonito.
Cá em casa também não somos muito fãs de pão de forma industrial, talvez por isso ninguém apreciou muito.

Fatias de pão de forma sem côdea comercial.
Salmão fumado
Queijo creme com ervas

Barrar as fatias com queijo creme e por em cima as fatias de salmão.

Enrolar de maneira a fazer umas tortas e cortar ás fatias.
Eu para contornar essa situação  fiz a maioria em sanduíche e cortei ás tiras.

Cá em casa gostamos muito de salmão fumado, mas ainda a forma que mais gostamos é com tostas, com queijo ou com maionese, com um bocadinho de limão para temperar o salmão e já está.


domingo, 8 de fevereiro de 2015

Bolo Brasileiro

Este bolo é uma receita muito antiga que tenho no meu livro de receitas escritas á mão. Se é brasileiro ou não não sei, mas é assim que se chama.
É um bolo que eu gostava muito, mas já há muitos anos que não fazia e quando pensei fazer agora, encontrei algumas falhas na receita, nas quantidades de água, já noutra altura tentei e ficou meio enqueijado, desta vez ficou bem.

Passo a receita tal e qual tenho no meu livrinho, e deixo as dicas e alterações de como fiz.

2 chávenas de açúcar
2 colheres de sopa de manteiga
8 ovos
2 colheres de sopa de café solúvel
1/2 chávena de leite
2 chávenas de farinha
1 colher de chá de fermento

Calda
200ml de água
Café solúvel
Açúcar a gosto

Cobertura
1 tablete de chocolate culinária
100gr de natas

Bata as gemas com o açúcar até obter um creme homogéneo, junte a manteiga e bata mais um pouco.
Adicione o café solúvel previamente dissolvido em água a ferver e o leite(como não diz a quantidade de água, eu dissolvi numa chávena de café e utilizei uma saqueta daquelas tipo nescafé descafeinado).

Bata bem e em seguida junte a farinha e o fermento misturados, alternadamente com as claras batidas em castelo e envolva delicadamente.

Unte uma forma com margarina e polvilhe com farinha, deite aí a massa e leve a cozer em forno médio durante 40 min. verifique e desenforme ainda quente.

Enquanto o bolo coze prepare a calda.
Leve ao lume a água, açúcar e café, deixando ferver um pouco para formar um xarope ligeiro

 e a cobertura
Derreter o chocolate em banho-Maria, retirar do lume e juntar as natas, batendo muito bem para ficar um creme liso e homogéneo. 

Logo depois de desenformar o bolo, pique-o bem com um palito e deite aos poucos a calda preparada de modo a humedecer muito bem o bolo, demora um pouco a absorver a calda toda.

Cobrir com o creme de chocolate com o bolo ainda quente.

Podemos cobrir o bolo com açúcar em pó, que foi o que eu fiz desta vez, para não usar natas e chocolate, para evitar as gorduras, por causa dos colesterólicos, e também porque fiz o bolo no natal e há muitos doces e principalmente fritos, também por isso, tento fazer coisas que não tenham muitas natas. O açúcar em pó faz lembrar a neve.
Mas o chocolate com o café faz toda a diferença, fica muito boa essa combinação.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Farófias no microondas

Por vezes há pequenas soluções que nem tínhamos pensado experimentar, mas que resultam na perfeição.

Gosto muito de doces com claras em castelo, seja no forno sejam estas tradicionais farófias e raramente as fazia, porque não gostava do procedimento de as cozer em leite, nunca sabia bem se já estavam bem cozidas e depois de escorridas e postas no pirex para servir acabava sempre por aparecer liquido no fundo e o leite creme acabava por ficar com um aspecto esquisito.

Vi no blog da Luísa que ela as faz no microondas e resolvi experimentar, adorei o resultado, cozem super bem, não se pegam ao prato que se utiliza, ficam redondinhas e sequinhas, impecáveis, adorei.

Para as claras utilizei a proporção de 1 colher de açúcar para 1 clara que ela mesmo indica.

6 claras
6 colheres de sopa de açúcar

Bater as claras em castelo bem firmes e quando estiver quase juntar o açúcar aos poucos e continuar a bater, até virar a taça e elas não caírem.

Colocar colheradas do tamanho que gostar num prato grande no microondas, espaçadas entre elas para não se pegarem. 

Retirar e transferir para o recipiente onde vão ser servidas, cozer até acabar as claras todas.
O tempo depende do microondas e da sua potencia, ela recomenda 15 seg, eu fiz em casa da minha mãe e o micro dela só tem 850 de potencia pelo que tive que meter mais tempo, fui experimentando até ficarem na consistência desejada, foi mais ou menos o dobro do tempo.


Para a cobertura eu gosto com leite creme e para o fazer aproveitei as gemas e fiz a receita do robot de cozinha que ela também tem no blog.

1 litro de leite
6 gemas
150 gr de açúcar
40 gr de farinha maisena
Casca de limão e pau de canela a gosto

No copo da máquina meter a borboleta e juntar todos os ingredientes
Programar 9 min, temp.90º vel 2 
No fim do tempo retirar o pau de canela e as cascas do limão e deitar em cima das claras.
Fica bom e mais bonito polvilhado com canela, eu não meti, assim cada um pode por no seu prato a gosto, porque temos em casa quem não goste de canela.

É um doce muito bom para festas em que há sempre muitos doces e muito calóricos,  este é mais simples e podemos cortar um pouco no açúcar para ficar melhor ainda.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Panquecas de iogurte

Que somos fãs de panquecas já não é novidade, com iogurte nunca tinha feito, mas gostámos bastante, ficaram muito fofinhas e saborosas, nem precisavam de cobertura.

Estas na receita original levavam rodelas de banana, por isso se utiliza o iogurte de banana eu não tinha banana e também não me pareceu uma ideia muito boa, por isso deixei simples, deixa margem para utilizar o sabor de iogurte que mais gostarmos.


1 chávena de farinha
1 colher de chá fermento em pó
1/2 colher chá bicarbonato de sódio
2 colheres sopa açúcar
1 iogurte solido de banana
3 colheres sopa leite
1 ovo

Misturar todos os sólidos e envolver bem, juntar o iogurte, o leite e o ovo e bater bem até ficar um creme sem grumos e homogéneo.

Levar colheradas de massa ao lume, numa frigideira anti aderente, ligeiramente untada com óleo. Quando fizer bolhas vira-se e deixa-se mais uns segundos e já está. 
Quem quiser experimentar a banana é aqui que entra, metem-se as rodelas em cima da massa antes de virar.

Prontinhas para servir com o que mais gostar, chocolate é o meu preferido, mas pode ser uma compota, açúcar e canela, mel ou mesmo simples como o meu pequeno gosta mais.