domingo, 28 de abril de 2013

Mousse de ananás enformada

Esta receita fui buscá-la ao meu livrinho de receitas escritas à mão, é uma receita bem antiga, mas há já muito tempo que não fazia, porque cá sempre que se gosta muito de uma coisa, doce ou salgada, é explorada até cansar e esta cansou, mas de vez em quando para variar e fazer coisas diferentes vou repescar receitas esquecidas.

É uma mousse diferente das outras de ananás, porque leva leite evaporado em vez do tradicional condensado, por isso é mais leve e menos doce.


1 lata de ananás
1 lata de leite evaporado
1 gelatina de ananás
1 pacote de bolacha Maria
4 colheres de sopa de açúcar


Põe-se o leite de véspera no frigorífico.

Escorre-se muito bem o ananás, partem-se algumas rodelas ao meio e colocam-se a forrar uma forma de aro amovível. 

Triturar a bolacha Maria no robot de cozinha e reservar.

Leva-se a calda ao lume com a gelatina até esta desfazer, deixa-se arrefecer.

Bate-se o leite com o açúcar até engrossar e dobrar de volume, junta-se o restante ananás cortado aos pedacinhos pequeninos e junta-se também a calda com a gelatina já fria.

No robot de cozinha pode-se bater o leite com o açúcar e com a borboleta 5 min vel.5 ou até verificar que dobrou de volume.

Forra-se o fundo da forma com uma folha de papel vegetal e por cima pomos camadas alternadas de bolacha triturada, doce de ananás e mais bolacha, acabando com uma de doce polvilhado ligeiramente com bolacha.


Vai ao frigorífico de um dia para o outro, fica um doce muito leve e se não levar o açúcar fica doce q.b. só pela gelatina e pelo ananás.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Torta Caprese all Limone

Este bolo/Torta Caprese all limone que era para ser fantástico teve dois "quid pro quos" o primeiro foi na receita ou confecção, ia tendo um resultado desastroso.

Depois de  pesquisar sobre a receita na net, em muitas versões que aparecem em blogs italianos, cheguei á conclusão que faltou um ingrediente na receita, a fécula de batata, um ingrediente que com certeza teria feito toda a diferença.

Não sei se foi erro de tradução ou falha a passar para o blog de onde retirei a receita,  não perguntei, porque já perguntei noutras receitas e não obtive qualquer resposta ou comentário de volta, a menina desse blog é muda... não responde....neste apenas comentei o que me aconteceu e também nada em troca.... foi no mesmo blog de onde tirei um cheesecake de coco e que também não resultou, coincidência ou aselhice minha?!...pode ser aselhice minha, mas por outros resultados que tenho obtido não sei....

Esta é uma torta/tarte/bolo de origem na ilha de Capri como o nome indica, com uma mistura de aromas e sabor excelente, delicioso, por isso voltarei a fazer com a fécula de batata.

A receita que eu utilizei foi esta que aqui deixo, mas aqui encontrei uma de tantas outras, semelhante, mas com a fécula.


5 ovos
80gr de óleo
120gr de açúcar em pó
1 colher de sopa de açúcar baunilhado
1 casca de limão biológico
Sumo de 1/2 limão
175 gr de chocolate branco ralado
175gr de amêndoa pelada moída Vahiné
1 colher de chá de fermento em pó
1 pitada de sal


Eu fiz no meu robot de cozinha e primeiro pulverizei o chocolate branco e retirei, depois pulverizei o açúcar cristalizado junto com a casca do limão e também retirei.
Depois meter a borboleta e bater as claras em castelo, programar um minuto por cada clara, vel.5. e retirar.
Meter as gemas no copo, o sal, os açúcares e bater 5 min.vel.4. Juntar o óleo e o sumo de limão mais 2 min vel 4.
Retirar a borboleta e adicionar o chocolate ralado, a amêndoa, o fermento e bater 20seg. vel.3.
Por ultimo envolver as claras em castelo delicadamente.

Levar ao forno em forma untada e enfarinhada a 170º durante 30 min. verificar antes com um palito. O palito não sai com massa agarrada, mas agarrada á forma foi o que a minha ficou, completamente, apenas saiu uma tampa... como a massa estava tipo pudim, retirei com cuidado com uma espátula e coloquei o resto por cima do bolo e alisei com a espátula e para disfarçar cobri com mais amêndoa laminada e polvilhei com o açúcar em pó, como já era recomendado.


A falha a mim parece-me a falta da fécula de batata ou então também pode ser mal cozido mesmo, porque 170º 30 minutos parece-me pouco para um bolo tão húmido  tentarei noutra altura, porque com o stock que tenho agora de amêndoa tenho mesmo de tentar :-) e também porque o bolo é simplesmente delicioso, um verdadeiro manjar dos deuses :-)

Sigam-me na minha página de facebook :)

terça-feira, 23 de abril de 2013

Wook associa-se ao dia do livro

Para quem gosta de ler não deixe passar esta belissima oportunidade eu quero ver se lá vou enfeirar :-)

Não deixe para amanhã o que pode fazer só hoje :-)

MOMENTOS WOOK 100%

sábado, 20 de abril de 2013

Ambrósia

Este doce já o tinha feito há alguns anos, a receita que foi uma colega de serviço que me deu e que faz parte do seu caderninho de receitas antigas, mas que entretanto estava esquecida no meu computador, num arquivo que eu em tempos organizei das receitas que ia fazendo, antes de ter o blog

Resolvi ir repescá-la, porque tinha muitas gemas sobrando, ao contrário do costume serem as claras a sobrar.

1 l de leite
1/2 kg de açúcar(usei só 400gr)
1 colher de sopa de vinagre
casca de limão
2 ovos
10 gemas
Canela em pó

Leva-se o leite ao lume com a casca de limão e o pau de canela e quando levantar fervura, deita-se o vinagre, deixa-se ferver até reduzir um pouco.

Junta-se-lhe de seguida o açúcar e deixa-se ferver até ficar ponto de pérola fraco.
Entretanto misturam-se as gemas com os ovos inteiros.

Fora do lume adiciona-se um pouco do leite ás gemas mexendo sempre.
Depois misturam-se as gemas ao restante leite, mexendo sempre.
Leva-se de novo ao lume e, mexendo com uma colher de pau, deixa-se engrossar.
Deixa-se arrefecer e decora-se com canela.


Fica um doce granulado, porque o efeito do vinagre é talhar o leite, em vez de vinagre também já li em alguns sites que se pode utilizar limão, não sei qual será a diferença.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Bolo de laranja e coco

Tive ultimamente cá em casa umas remessas de  laranjas caseirinhas, umas oferecidas e outras lá da nossa quintinha, por isso há que aproveitar para beber bastante sumo e fazer doces e bolos com o mesmo.

Este bolo para ser diferente dos tradicionais ensopados depois de cozidos, leva bastante sumo na massa e junta um sabor mais suave para contrastar com o ácido da fruta, o do coco.


4 ovos
200gr de açúcar
100gr de manteiga
270gr de farinha
150 gr de coco ralado
3 dl de sumo de laranja
1 colher de sobremesa de fermento

Bater muito bem o açúcar com a manteiga até formar um creme, juntar aqui as gemas e continuar a bater.

Envolver a farinha com o fermento no preparado anterior.

Juntar o sumo, misturar bem e por ultimo envolver as claras batidas em castelo alternando com o coco.

Levar ao forno a 180º durante 40 min.

Fica muito bom, consistente e um nadinha húmido.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Doce de dois leites

Esta receitinha retirei de um livro Chamado "As receitas do sitio do costume" e foi oferecido exactamente pelo sitio do costume, para quem já não se lembra da publicidade era mesmo o Pingo doce.

É um livro com coisas simples, muito fáceis e exequíveis, mas muito boas.

5 dl de leite gordo
1/2 lata de leite condensado
2 ovos
2 colheres rasas de maisena
2 colheres de sopa de açúcar
2 cascas de limão
caramelo liquido.

Leve ao lume o leite com as duas cascas de limão, quando ferver retire do calor.
Numa tigela misture o leite condensado, as gemas e a maisena  com uma vara de arames, para evitar que se formem grumos.
Deite esta mistura no leite, depois de ter retirados as cascas de limão. Leve ao lume mexendo sempre com a vara de arames e deixe engrossar.
Forre as paredes e o fundo de um tabuleiro que possa ir ao forno e á mesa com caramelo liquido.
Deite então o creme e por cima coloque as claras batidas em castelo bem firme com o açúcar, espalhe bem e risque com um garfo.
leve ao forno no gril, só para dourar e cozer um pouco as claras.

Sirva frio ou à temperatura ambiente. É um doce que agrada a todos cá em casa, pelo leite creme e pelas claras, muito bom, já tenho por aí outras versões mais ou menos elaboradas.

sábado, 6 de abril de 2013

Bolo de anjo com creme de framboesas e chocolate branco.

Este bolo já o tenho por aí, só que coberto com doce de ovos, uma vez que é feito só com claras, normalmente aproveitam-se as gemas para a cobertura.

Para variar desta vez fiz uma cobertura diferente, mais primaveril, que encontrei por aí e que me pareceu fabulosa no aspecto e nos ingredientes.



Bolo:
8 ovos
90 gr de farinha
180 gr de açúcar
4 gr de cremor tártaro

Creme de framboesas:
100 gr de framboesas
200 gr de chocolate branco para culinária
120 gr de creme fraiche
1 colher de sopa de água

Para fazer o bolo, primeiro bater as claras em castelo bem firme.

Misturar bem a farinha com o açúcar e o tártaro e envolver nas claras com cuidado, mexendo suavemente.

Levar ao forno a cozer em forma untada e polvilhada com farinha, a 200º durante 30 min.

As indicações para desenformar é que se deve voltar a forma em cima do gargalo de uma garrafa e deixar assim até arrefecer, eu nunca fiz isso e o bolo baixa um bocadinho, não sei se é por isso ou coincidência.

Para fazer o creme, levar as framboesas ao lume com a água e deixar ferver até estas se desfazerem, passar por um coador de rede fina para separar as sementes do polme da fruta.

Depois levar ao lume o creme fraiche até ferver, retirar do lume e juntar o chocolate branco e mexer bem até derreter.
Juntar ao creme anterior o polme de framboesa e misturar bem. deixar arrefecer bem para ganhar consistência antes de decorar o bolo.

Não posso dizer que o creme ficou tão fantástico como á primeira me pareceu, aliás fica um creme algo estranho, com um sabor muito forte e denso, como se costuma dizer -á primeira estranha-se, mas depois entranha-se, ou seja no principio não gostei muito, mas depois até achei interessante, tem que se gostar de framboesas.
O meu menino que adora tudo de morango provou pensando que era, deixou e no fim também voltou, mas pediu com morangos para a próxima, tal como eu penso, deve ficar um sabor mais suave.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

A melhor sopa de peixe que já comi

Esta sopa fiz para o dia de Páscoa  tinha imaginado fazer uma entrada diferente, mas como passei a semana e o fim de semana todo doente e com febre, achei melhor fazer uma coisa mais simples, que desse menos trabalho e uma sopa de peixe é uma coisa que todos gostamos muito e faz-se rápido.

1 tronco de pescada
1 tronco de red fish
1 chávena de camarão descascado.
4 ou 5 paus de delicias do mar
1 alho francês médio
1 cebola média
3 dentes de alho
2 cenouras médias
1 batata grande
1 copo de polpa de tomate caseira congelada
Coentros a gosto
Azeite q.b.

Primeiro cozer o peixe e a batata em água temperada com pouco sal.

Fazer um refogado com a cebola, o alho francês, os alhos e o azeite, ao que se junta também a cenoura ralada e a polpa de tomate quando a cebola já está transparente.
Juntar um pouco da água de cozer o peixe, juntar também a batata e quando tudo estiver bem cozinhado, triturar tudo com a varinha mágica.

Se necessário juntar mais um pouco de água, mas de modo que fique um puré cremoso.

Juntar o peixe limpo de espinhas e peles e partido em pedacinhos, juntar também o camarão descascado e deixar ferver mais um pouquinho, para incorporar os sabores, rectificar os temperos.

No fim ao desligar o lume juntar as delicias do mar cortadas ás rodinhas e uma boa porção de coentros picados.

Ficou uma sopa riquíssima  com creme, cor e sabor deliciosos e sem nenhum tipo de aditivos artificiais, tipo sopas de marisco que normalmente se costumam adicionar. Este foi o único pratinho que sobrou para o dia seguinte, por isso os coentros já estão murchos.