domingo, 15 de outubro de 2017

Orelha de porco de vinagrete ou salada de orelha

Ora aqui está uma coisa que não aprecio, comer e principalmente fazer!!!!

Eu por norma gosto de tudo e este prato se não houver mais nada também petisco, mas não morro de amores, mas os meus meninos adoram e resolvi fazer para as entradas na festa de aniversário do pequeno.



Porque não gosto de fazer?!!? porque ...... eu até gosto de tudo e cozinho tudo, desde que não veja o bicho vivo e estas miudezas!!! olhar para elas faz-me impressão, só não sou vegetariana por mero acaso, mas seria concerteza se tivesse que matar os bichos, nem depenar galinhas nem nada parecido.

E foi com algum sacrifício mesmo, que cheguei a casa e despejei as ditas cujas orelhas na taça para as limpar e quando as vi assim despidas e mortas na taça quase me revirou o estômago, mas por uma boa causa lá tratei delas.....


Como nunca tinha feito procurei uma receitinha e as que encontrei diziam 2 orelhas para 4 pessoas, como por norma este tipo de prato não serve de prato principal, tomei a quantidade como para entradas mesmo..... pelo que achei melhor trazer 4 porque os comensais seriam mais do triplo.

4 orelhas de porco
1 cebola
5 dentes de alho
1 folha de louro
1 ramo de salsa
1 chávena de azeite
1 chávena de vinagre
Sal


Primeiro lave bem as orelhas e raspe algumas peles ou pelos que tenha(!!!!)

Leve as orelhas a cozer na panela de pressão com sal e a folha de louro, a minha é super-rápida deixei só 5 minutos e deixei em cima da placa de vitro-cerâmica até perder a pressão, ajustar a cada tipo de panela, porque se ficar muito tempo desfaz-se e fica-se com a cartilagem despida....

Depois de arrefecer partir em pedacinhos pequenos e temperar a gosto, eu piquei o alho, a cebola e a salsa bem fininhos e misturei, depois reguei com o azeite e o vinagre.

Recomenda-se deixar no frigorífico pelo menos 3 a 4 horas, mas de um dia para o outro é melhor para ganhar mais sabor.

Os meus comensais gostaram bastante e disseram maravilhas, o problema é que sobrou imenso..... falta de prática.... 2 orelhas é mais que suficiente para qualquer festa, porque por norma não será a única entrada nem comida....

Já me seguem na minha página de facebook ? sigam-me ajudem a página a crescer :)

9 comentários:

  1. Já eu sou fã acérrima deste petisco. Só não como mais vezes por não ser propriamente saudável. Mas que belo manjar para mim! :D

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. POis é Marlene, mas há por aí umas dietas agora que até dizem que carne e gordura fazem bem :) temos que adaptar os nossos gostos ás dietas(modas) vigentes :)
      beijinhos

      Eliminar
  2. Sabes, cresci numa casa de lavoura onde se criava os animais que depois serviriam de refeição. Os meus pais evitavam que eu visse a parte da matança, mas todo o restante eu via e até participava. Hoje em dia se puder fugir de todo o processo, fujo! Prefiro ir ao talho comprar as peças à medida que vou precisando. Aí já não me causa tanta impressão. Mas como eu ia a dizer, quando se matava porco, aproveita-se praticamente tudo, até mesmo as partes menos nobres que os chefes agora "descobriram" e usam imenso, nós já usávamos! A orelha raramente acabava em salada, na maioria das vezes ia para a feijoada ou para o caldo de couves. Eu como, mas prefiro outras coisas! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Elisabete
      Pois eu cresci na cidade e não aprecio muito essas andanças, só recordo uma tia que vivia na aldeia e matava um porco, mas nunca assisti a nada disso e o meu avô tinha patos, galinhas e coelhos, mas nunca vi nada da parte macabra :)mas tenho pena que essas tradições se percam, faz parte da nossa cultura.
      beijinhos

      Eliminar
  3. As minhas costelas são todas beirãs, logo, também eu me revejo nas matanças do porco quando miúda. Agora como então adoro esses sabores e ainda consigo sentir os cheiros daquela época.
    Cá em casa só o meu filho me acompanha nestes gostos.
    Pai e filha são mais para o esquisitinho.
    Temos pena...mais fica para nós.
    Obrigada por me fazeres recordar assim uma época já tão distante no tempo, mas tão perto no coração.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Dilene
      Fico contente que lhe tenha proporcionado essas memórias.Também tenho muitas de infância da aldeia dos meus avós, tenho pena que essas tradições se percam.
      Beijinhos

      Eliminar

Não passe sem deixar um miminho :)