quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Filhoses de Flor Fracassadas

Quem conhece Filhoses de Flor?

Eu nunca tinha feito e nunca tinha comido.

Mas este ano tinha decidido experimentar fazer as ditas filhoses de flor, procurei as formas e como sou de ideias fixas e tinha que ser naquele exacto fim de semana que tinha que experimentar.
Onde encontrei as formas foi em lojas de artigos para casa no shopping, porque as tradicionais só se vendem nas casas de ferragens e estavam fechadas e como não podia esperar mais uns diazinhos........

Comprei estas da marca Tescoma que foi as que encontrei á venda e fiz a receita que vinha na embalagem das formas.

Fracasso total e eu desde o inicio gosto de partilhar aqui tudo, o que corre bem e o que corre menos bem, para que outras pessoas não cometam os mesmo erros.


1 ovo
125 ml de leite
90 gr de farinha
16 gr de açúcar granulado
3 gr de sal
9 ml de óleo vegetal

Misturar todos os ingredientes muito bem de modo a formar uma massa suave.

Fritar e polvilhar com açúcar em pó, baunilhado ou com canela.

Para fritar dizem as instruções que se deve mergulhar as formas durante um minuto em óleo quente, retirar escorrer e mergulhar rapidamente na massa sem que esta passe para cima da forma, porque se assim for ela não irá descolar, mergulhar então no óleo quente abanar e a massa descola-se.


É o que dizem as instruções e é assim que dizem que funcionam as outras formas que se compram nas casas de ferragens, com estas cá em casa não aconteceu nada disso!!!!


Gastei 1 litro de óleo, fiz duas receitas da massa e depois de mil e uma tentativas, consegui fazer um prato de florinhas queimadas e super empapadas em óleo, mas nenhuma se descolou naturalmente como era suposto, as que consegui descolar foi com a ajuda de um garfo e para além disso apenas na forma de flor mais larga, porque nas outras com mais pormenores e reentrâncias é para esquecer, aliás a massa queima agarrada á forma e depois nem de raspadeira sai, tive que as meter de molho e deixar assim algum tempo para depois as limpar com um palito entre as reentrâncias.....

A casa ficou a cheirar a óleo queimado quase uma semana, nem velas, nem incenso nem laranja com cravinho a queimar resolveram....

Escrevi a contar o sucedido á marca e até foram atenciosos, mas nada a fazer....
As formas não tem defeito?!?!, o problema é seu.....como tal não há resolução possível, é ficar com o prejuízo de 16 euros e pronto..... mas ainda assim enviaram-me um vale de 10% de desconto nas lojas deles ou aderentes mas para gastar em 10 dias, nem me preocupei em imprimir..... 

4 comentários:

  1. Quando eu era miúda a minha mãe fazia estas filhós imensas vezes! Chamava-lhe flores do egipto! Eu e o meu pai adorávamos! Depois quando casei, um dia vi as tradicionais formas à venda numa loja dos trezentos e não hesitei em comprar já que durante alguns anos pareciam ter deixado de existir. Experimentei e correu lindamente. Um dia levei-as para casa da minha mãe, fiz a massa, de lá resultaram um montão delas! Só consegui provar uma porque entretanto chegaram visitas inesperadas e limparam o prato todo! Mais houvesse! O meu marido também não conhecia e adorou! Há dois anos pelo Natal resolvi voltar a fazer no dia em que os meus sogros vinham cá comer. Como o meu sogro não aprecia sobremesas de colher, achei que era uma boa opção. Por sorte eu não tinha dito que ia fazer, e ainda bem, pois não consegui uma que fosse! A massa não aderia à forma e quando aderia não descolava, não saiam inteiras, outras saiam queimadas. Desisti. Regressei à sala da jantar, como se nada fosse (a tresandar a fritos certamente, mas ninguém comentou nada), e fiz-me valer dos doces de Natal que tinha na boleira! Se o problema foi das formas? Não me parece. As formas eram as mesmas. Como essas que nos mostras mas as minhas têm o cabo do mesmo material da forma. Acho que o problema poderia estar noutras coisas como o óleo (demasiado quente, demasiado frio, ou até a qualidade do mesmo), poderia também estar na farinha (que às vezes é mais ou menos fina), poderia estar no ovo (por ser demasiado pequeno ou demasiado grande poderia ter alterado a consistência correta da massa), eu sei lá! Era plausível dizer que o problema poderia estar na receita, por ser diferente, mas não, era a receita de sempre que a minha mãe fazia e nunca falhava! Que eu própria já tinha feito e nunca tinha falhado! A receita da minha mãe é diferente dessa tua:

    1 ovo;
    1 colher de manteiga;
    1 copo de farinha;
    1 copo de leite;
    1 pitada de sal;

    Mistura-se tudo, mergulha-se a forma no óleo quente alguns segundos, depois molha-se na massa sem chegar à extremidade, coloca-se a fritar, assim que descolar vira-se para tostar do outro lado e já está. Retira-se e polvilha-se com açúcar e canela.

    Vais perguntar-se se a colher de manteiga é de sobremesa ou de sopa, mas não me lembro! É que a minha mãe tinha este problema, como tinha as receitas todas na cabeça, apenas anotava o básico porque depois os pormenores ela já sabia de cor! Quando copiei, transcrevi da mesma forma! E confesso que acho que tenho o mesmo defeito pois fiz a receita algumas vezes e nunca corrigi! Na altura uma pessoa acha sempre "ah, não me vou esquecer"! Mas eu diria que deve ser uma colher de sopa rasa de manteiga. Só testando novamente para ter a certeza. Um dia tenho de experimentar outra vez!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Só depois de muitas tentativas consegui acertar. O maior problema é a temperatura do óleo. Para a próxima vai sair melhor!

    ResponderEliminar
  3. Já tinha visto em vários blogs, mas nunca fiz ou provei,....fiquei tentada em fazer, não tenho é esse acessório :(
    Beijinhos,
    Espero por ti em:
    strawberrycandymoreira.blogspot.pt
    http://www.facebook.com/omeurefugioculinario
    https://www.instagram.com/marysolianimoreira/

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pela receita Elisabete :) vou testar :)
    Mary se quiser eu vendo e com desconto :)

    ResponderEliminar

Não passe sem deixar um miminho :)